PUBLICIDADE
Topo

Globo compensa censura a Guilherme com lembrança que Pyong foi "infrator"

Pyong e Guilherme, os dois adversários no paredão desta semana no "BBB 20" -  Reprodução/Globoplay
Pyong e Guilherme, os dois adversários no paredão desta semana no "BBB 20" Imagem: Reprodução/Globoplay
Mauricio Stycer

Mauricio Stycer

Mauricio Stycer é jornalista desde 1985. Repórter e crítico do UOL, colunista da Folha de S.Paulo, passou por Jornal do Brasil, Estadão, Folha, Lance!, Época, CartaCapital, Glamurama Editora e iG. É autor de "Topa Tudo por Dinheiro - As muitas faces do empresário Silvio Santos" (editora Todavia, 2018).

Colunista do UOL

02/03/2020 23h38

O jogo da discórdia nesta segunda-feira (02) serviu para Tiago Leifert compensar o erro cometido na véspera, quando censurou Guilherme ao vivo durante a formação do paredão. O modelo quis lembrar que Pyong havia sido chamado ao confessionário, onde foi advertido pela direção do "BBB 20", mas o apresentador não permitiu.

A censura a Guilherme, que a Globo se recusou a explicar, foi vista como um gesto que beneficiou Pyong, seu adversário no paredão desta semana. Leifert, porém, encontrou um pretexto para equilibrar as coisas quando o mágico quis tratar do assunto no meio do jogo da discórdia.

Ao indicar Guilherme como o participante que mais "joga sujo" no "BBB 20", Pyong disse. "É a minha vez de falar. Tiago, quero deixar uma coisa clara. Eu tava com o Prior e com ele (Guilherme) conversando de madrugada, e ele puxou o assunto do confessionário. Ele viu que..."

Foi, então, que o apresentador o interrompeu: "Vou te parar também". Pyong protestou: "Não, é assim". Mas Leifert manteve a proibição a Pyong falar do caso. "Se eu não deixei o Guilherme falar ontem porque ele não tinha todas as informações - e ele não tem porque ele não sabe -, eu também não vou deixar que você use isso como se você fosse a vítima. Porque você não é. Você foi infrator".

Leifert, então, lembrou o que Guilherme não teve oportunidade de lembrar na véspera: "Você foi chamado no confessionário, você foi advertido. Eu acho perigoso a gente jogar esse assunto no dia da votação. O público sabe de tudo, o público assistiu tudo, a conversa com você no confessionário e agora o público decide".

E completou: "Há erros de convivência, tipo o feijão, coisas engraçadas, e há erros graves, que transcendem o muro da casa. Esses a gente têm que tratar com bastante serenidade e cautela quando a gente for falar. Não é para um dia como hoje que a gente tá fazendo uma coisa que é séria pra nós, mas o público tá se divertindo. Vamos deixar eles avaliarem e todo mundo sabe o que aconteceu".

Após uma festa, no início de fevereiro, Pyong foi advertido por tentar beijar Marcela a força e apalpar Flayslane. No confessionário do "BBB", ambas disseram que não se incomodaram, mas a médica registrou: "Nada me incomodou, não. Fiquei preocupada com relação à esposa dele." O caso "transcendeu o muro da casa", como disse Leifert, porque o mágico virou alvo de uma investigação da Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam) por causa dos acontecimentos nesta festa.

No confessionário, ele ouviu a seguinte repreensão: "Pyong, ontem na festa o seu comportamento nos causou preocupação. Você bebeu demais, colocou a sua saúde em risco e foi inconveniente com algumas meninas na casa. Isso aqui é uma advertência pra você. Pra que esse tipo de comportamento não se repita. E não passe do ponto novamente"

O disputadíssimo paredão entre Pyong e Guilherme (Gizelly é coadjuvante) vai ter o seu resultado anunciado nesta terça-feira. Depois desta intervenção de Leifert, os fãs dos dois participantes não podem mais dizer que um ou o outro foi beneficiado pela emissora.

O lado B do BBB

Mauricio Stycer