PUBLICIDADE
Topo

Globo não esclarece dúvida sobre o estado de saúde de Gabi no BBB 20

No final de janeiro, Gabi chorou ao contar que parou de tomar remédios para depressão ao entrar no "BBB 20" - Reprodução/GlobosatPlay
No final de janeiro, Gabi chorou ao contar que parou de tomar remédios para depressão ao entrar no "BBB 20" Imagem: Reprodução/GlobosatPlay
Mauricio Stycer

Mauricio Stycer

Mauricio Stycer é jornalista desde 1985. Repórter e crítico do UOL, colunista da Folha de S.Paulo, passou por Jornal do Brasil, Estadão, Folha, Lance!, Época, CartaCapital, Glamurama Editora e iG. É autor de "Topa Tudo por Dinheiro - As muitas faces do empresário Silvio Santos" (editora Todavia, 2018).

Colunista do UOL

05/03/2020 06h01

Uma revelação da cantora Gabi Martins sobre seu estado de saúde, feita no final da primeira semana do "BBB 20", voltou a ser compartilhada por fãs esta semana, após o seu namorado, Guilherme, ter sido indicado ao paredão e eliminado do programa.

Em uma conversa com vários participantes durante uma madrugada, a cantora sertaneja de 23 anos revelou, chorando, que tomou remédios para enfrentar uma depressão em 2019 e parou de tomá-los antes de entrar no reality show.

A frase literal de Gabi foi: "Ano passado eu tive depressão e comecei a tomar remédio, todo dia, pra dormir e pra viver. E quando eu entrei aqui, não podia continuar. E eu falei: vou levar isso como a minha cura. Eu vou ser forte, Deus me ajuda todos os dias, e eu sei que preciso passar por isso".

Perguntei à Globo sobre o que Gabi quis dizer ao falar "quando eu entrei aqui, não podia continuar"? Mas não obtive uma resposta. A emissora enviou um comunicado que não esclarece a dúvida específica.

Disse a Globo: "Respeitando o sigilo médico-paciente, não divulgamos informações de tratamentos de participantes. Ressaltamos, porém, que o atendimento médico está sempre à disposição dos participantes durante todo o programa, assim como o atendimento psicológico, que é agendado de acordo com os pedidos".

O comentário de Gabi e a resposta da emissora deixam várias dúvidas no ar. Que remédio era esse? O que quer dizer "quando eu entrei aqui, não podia continuar"? Foi a Globo que proibiu? Foi o seu médico? Foi uma decisão pessoal?

Outras dúvidas. Se os remédios eram indispensáveis, por que ela entrou no programa? Se você precisa de um remédio, você vai aceitar parar de tomar para participar do BBB? Na eventualidade de ter largado os remédios por vontade própria (não sei se foi isso mesmo), ela mereceria tratamento especial dos demais participantes do jogo por isso?

Em entrevista ao jornal "O Globo", nesta quinta-feira (5), a mãe de Gabi, Maíra Martins, comentou a situação: "Foi um exagero falar em depressão, é ansiedade mesmo. Ela tomava um remédio que ajudava a relaxar e a dormir mais. Quando ela foi escolhida para o programa, disse que não ia tomar mais, que queria viver tudo lá intensamente. Ela estava terminando o tratamento e resolveu parar logo antes de entrar na casa."

A emissora assegura que todos os participantes passam por avaliação médica antes de entrar no reality. E garante que existe acompanhamento 24 horas por dia para todos.

De acordo com as normas, os "brothers" entram no "BBB" cientes do que pode e do que não pode ser levado para o confinamento. Tudo é amplamente acordado entre a emissora e os selecionados.

A Globo não confirma esta informação, mas quem acompanha o programa nas transmissões 24 horas observa que diariamente ao menos três participantes recebem medicamentos da produção. Quem não recebe remédios, em tese, é porque não precisa.

Por tudo isso, é possível supor que, para a Globo, Gabi não enfrenta nenhum problema de saúde fora de controle.

O caso Fani Pacheco

Em 2013, em sua segunda participação num "BBB", Fani Pacheco teve crises de choro e afirmou que as alterações de humor estavam ocorrendo em função da falta de remédios que tomava antes de entrar no programa.

A Globo afirmou na ocasião que os participantes do "BBB13" eram acompanhados por médicos que não deixariam faltar remédios essenciais. "Remédios controlados só são usados com prescrição médica. Os participantes são monitorados permanentemente por uma equipe de médicos que acompanha o programa e têm à disposição todos os medicamentos que necessitam", disse a emissora.

Logo que saiu do programa, Fani reclamou da Globo. "Jogaram seis anos de tratamento da minha doença no lixo e eu estou com depressão". Em diferentes ocasiões ela afirmou que tomou remédios em sua primeira participação, no "BBB7", e que momentos antes de entrar no "BBB13" não foi autorizada a levar os medicamentos.

Fani foi convidada a falar de sua experiência dolorosa no documentário "O Lado B do BBB", mas não quis participar. Esta semana, voltei a procurá-la para que falasse sobre a situação de Gabi, que parece lembrar a sua. A assessoria de Fani respondeu que ela não está assistindo o "BBB 20".

O lado B do BBB

Mauricio Stycer