PUBLICIDADE
Topo

Se necessário, Netflix diz que reduzirá qualidade da transmissão no Brasil

A Netflix concordou em baixar a qualidade de suas transmissões na Europa para não sobrecarregar a internet - Reprodução / Internet
A Netflix concordou em baixar a qualidade de suas transmissões na Europa para não sobrecarregar a internet Imagem: Reprodução / Internet
Mauricio Stycer

Mauricio Stycer

Mauricio Stycer é jornalista desde 1985. Repórter e crítico do UOL, colunista da Folha de S.Paulo, passou por Jornal do Brasil, Estadão, Folha, Lance!, Época, CartaCapital, Glamurama Editora e iG. É autor de "Topa Tudo por Dinheiro - As muitas faces do empresário Silvio Santos" (editora Todavia, 2018).

Colunista do UOL

20/03/2020 12h28

Em consequência da pandemia de coronavírus, a União Europeia pediu à Netflix que ela ajude a garantir o acesso à internet da população do bloco. A preocupação é com o streaming de vídeo em HD. Por este motivo, o serviço de streaming concordou em diminuir a qualidade de suas transmissões para não sobrecarregar as redes de internet do continente.

"Devido aos desafios extraordinários criados pelo coronavírus, a Netflix decidiu começar a reduzir a taxa de bits em todas as nossas transmissões na Europa por 30 dias", informou a empresa à Variety na quinta-feira (19), conforme noticiou a Folha.

"Estimamos que isso reduzirá o tráfego da Netflix nas redes europeias em cerca de 25%", disse o representante da União Europeia à publicação após o anúncio da empresa.

Ao fazer transmissões com qualidade mais baixa, o uso de internet é menor, o que contribui para uma diminuição no uso de dados. A taxa de bits é a quantidade de bits por segundo que pode ser transmitida por uma rede digital.

Questionei a Netflix se ela estuda medida semelhante no Brasil. A resposta indica que sim.

"Começamos com a Europa, dadas as preocupações relatadas pelo comissário sobre as redes europeias. Continuaremos a trabalhar com provedores de serviços de Internet e governos de todo o mundo e aplicaremos essas mudanças conforme necessário em outros lugares."

Mauricio Stycer