PUBLICIDADE
Topo

BBB 20: Com a "Casa das 9 Mulheres" dividida, qual é a chance de Babu?

Após dar uma aula sobre escravidão no Brasil, Babu é aplaudido por suas companheiras de "BBB 20" - Reprodução/Globoplay
Após dar uma aula sobre escravidão no Brasil, Babu é aplaudido por suas companheiras de "BBB 20" Imagem: Reprodução/Globoplay
Mauricio Stycer

Mauricio Stycer

Mauricio Stycer é jornalista desde 1985. Repórter e crítico do UOL, colunista da Folha de S.Paulo, passou por Jornal do Brasil, Estadão, Folha, Lance!, Época, CartaCapital, Glamurama Editora e iG. É autor de "Topa Tudo por Dinheiro - As muitas faces do empresário Silvio Santos" (editora Todavia, 2018).

Colunista do UOL

02/04/2020 00h30

Contra nove mulheres, qual é a chance de Babu avançar no "BBB20"? Nesta quarta-feira (01), Mr. Edição selecionou uma frase de Ivy a este respeito: "Ou a gente arranca esse homem da casa ou ele é o ganhador do Big Brother Brasil". Gizelly, aparentemente, concordou: "Então, nós vamos estar arrancando esse homem".

Antes, a edição mostrou uma conversa entre Rafa, Manu, Thelma e Gabi. A digital influencer disse: "Eu já consigo trilhar prioridades de voto. E o Babu não está nessa prioridade. Tá bem longe". Manu disse "sim" e a médica observou: "Rafa Kalimann, nunca imaginei que seria tão parecida com você".

E, no trecho mais emocionante do programa, Thelma disse para Babu: "Não enxerga isso como um jogo homem contra mulher. Isso já deve ter passado pela sua cabeça. Eu acredito que é um jogo independente de gênero, influenciado totalmente por atitudes. E tem gente aqui que gosta de você de verdade. Eu sou uma dessas pessoas e você não precisa se enxergar como o próximo alvo da casa toda."

Babu respondeu longamente, falando muito sobre como a sua vida pessoal e profissional tem influenciado o seu comportamento dentro do "BBB 20": "Eu a todo momento tento evitar conflitos. A minha vida já foi muito conflituosa. Eu não aguento mais conflito. Mas isso também não quer dizer que eu vou virar uma maria mole."

E acrescentou: "Porque eu sei que tudo pra mim vem duro. Desde o momento em que escolhi ser pai cedo, desde o momento em que escolhi ser artista num lugar em que as pessoas não acreditavam que sairia tanto ator. E num país que não valoriza a arte. Todo dia é paulada. É difícil não ser duro. É muito como a gente pode sintetizar esse meu jogo".

Para entender melhor este comentário do ator, recomendo o episódio do programa "Espelho" em que Lázaro Ramos entrevistou Babu Santana. Foi ao ar originalmente em março de 2015, há cinco anos, e mostra o dois andando pelas ruas da comunidade do Vidigal, no Rio. O canal Brasil recolocou o vídeo no You Tube há duas semanas.

Babu foi criado no Vidigal e começou a fazer teatro ali mesmo, no grupo Nós do Morro. Na entrevista, ele fala bastante sobre a sua trajetória profissional e, em especial, da condição do negro na dramaturgia brasileira.

Depois de ter feito uma infinidade de papéis de criminosos no cinema e na TV, Babu diz a Lázaro: "Eu até faço mais um bandido, mas eu não quero mais roubar a bolsa. Eu quero ser o mentor. Eu quero ser o mentor da parada toda. Eu quero fazer um personagem complexo, independente do que ele é."

Na sequência, o entrevistador pergunta se Babu fez personagens que podem ser considerados estereotipados para um ator negro. "É uma questão de sobrevivência", responde, falando da televisão.

"Eu queria saber como eu ia entrar nesse mercado. Eu tinha certeza que não ia ser beijando a menina da novela das 20h. Enxerguei isso como uma janela. Hoje tenho o privilégio de falar 'não'. Eu até faço..."

Outro momento interessante é quando Babu diz: "Quero me estabilizar financeiramente com a minha profissão, Quero também retribuir à vida tudo que ela me deu. Porque me sinto um homem muito feliz e realizado".

Quem está acompanhando Babu no "BBB 20" já ouviu o ator falar que continua longe da estabilidade financeira. Uma de suas frases mais marcantes no programa foi: "Vim vender a minha privacidade, não vim vender minha alma".

O lado B do BBB

Mauricio Stycer