PUBLICIDADE
Topo

Podia ser sempre assim: eliminação, prova do líder e paredão na mesma noite

Mauricio Stycer

Mauricio Stycer

Mauricio Stycer é jornalista desde 1985. Repórter e crítico do UOL, colunista da Folha de S.Paulo, passou por Jornal do Brasil, Estadão, Folha, Lance!, Época, CartaCapital, Glamurama Editora e iG. É autor de "Topa Tudo por Dinheiro - As muitas faces do empresário Silvio Santos" (editora Todavia, 2018).

Colunista do UOL

06/04/2020 12h59

O episódio do "BBB 20" neste último domingo (05), com eliminação, prova do líder e formação do paredão em sequência, foi eletrizante. Para mim, podia ter essa dinâmica todo domingo. O ano inteiro. "BBB" ia ter mais audiência que novela das 21h.

Gostei de várias coisas essa noite. Primeiro, o discurso de eliminação da Gabi. Tiago Leifert descascou os três emparedados, Gabi, Thelma e Babu, por falta de apetite para jogar. Fez críticas corretas aos três. Mas que o colunista Chico Barney não me ouça, acho que foi justa a eliminação da cantora.

A prova do líder, infelizmente, lembrou quermesse, como observou o colega Lello Lopes. Prova bobinha demais, mas é o que dá para fazer rapidamente. Uma prova muito elaborada demoraria e poderia atrasar tudo.

E, por fim, uma coisa que aprecio muito. Votação aberta. Hora da verdade. E foi ótima a votação. Só estranho esta obsessão da Ivy com Babu. É a sétima vez, em dez votações que ela participou, que vota no ator. E Babu vai para o seu sexto paredão.

As pessoas não aprendem que transformar um participante em alvo preferencial é transformá-lo em favorito.

O lado B do BBB

Mauricio Stycer