PUBLICIDADE
Topo

Para Bolsonaro, Globo é TV Funerária; emissora diz priorizar vidas em risco

Bonner: "O noticiário sobre o que é mais importante: as vidas em risco na pandemia do coronavírus" - Reprodução
Bonner: "O noticiário sobre o que é mais importante: as vidas em risco na pandemia do coronavírus" Imagem: Reprodução
Mauricio Stycer

Mauricio Stycer

Mauricio Stycer é jornalista desde 1985. Repórter e crítico do UOL, colunista da Folha de S.Paulo, passou por Jornal do Brasil, Estadão, Folha, Lance!, Época, CartaCapital, Glamurama Editora e iG. É autor de "Topa Tudo por Dinheiro - As muitas faces do empresário Silvio Santos" (editora Todavia, 2018).

Colunista do UOL

22/05/2020 22h55

Num dia em que foi alvo de todos os noticiários, por causa da divulgação do vídeo da reunião ministerial ocorrida em abril, o presidente Jair Bolsonaro voltou a atacar a Rede Globo. Em uma entrevista na noite desta sexta-feira (22), no Palácio do Alvorada, ele se referiu à emissora como "TV Funerária".

Foi uma ironia ao fato de a Globo dedicar, na visão do presidente, muito tempo ao noticiário sobre a pandemia de coronavírus.

Disse Bolsonaro: "Divulgam só notícia ruim! Que horas são? Já deu 20h30? 20h42. Já tem 12 minutos que está no ar a TV Funerária. TV Globo. TV Funerária. Morreu mais tantos. Aquela cara de freira arrependida. O outro lá, o William Bonner, 'morreu não sei o que lá'. Tô até hoje aguardando a resposta dele se Roberto Marinho era ditador ou democrata" (veja abaixo o vídeo).

Por coincidência, o "Jornal Nacional" também falou nesta sexta-feira sobre como enxerga a própria cobertura. Bonner deixou claro que, na comparação com a crise política, a crise sanitária é mais importante por envolver vidas humanas.

Disse o apresentador: "O que aconteceu na reunião de abril, o que foi dito e por quem, você vai ver ainda nesta edição do 'Jornal Nacional', que começa com o noticiário sobre o que é mais importante: as vidas em risco na pandemia do coronavírus".

Foi ao ar, então, um bloco de informações sobre a triste notícia também destacada na abertura: "O Brasil é o segundo país com maior número de casos de covid-19 no planeta".

Mauricio Stycer