PUBLICIDADE
Topo

Sarcasmo da repórter Andréia Sadi expôs o absurdo das respostas de advogado

Mauricio Stycer

Mauricio Stycer

Mauricio Stycer é jornalista desde 1985. Repórter e crítico do UOL, colunista da Folha de S.Paulo, passou por Jornal do Brasil, Estadão, Folha, Lance!, Época, CartaCapital, Glamurama Editora e iG. É autor de "Topa Tudo por Dinheiro - As muitas faces do empresário Silvio Santos" (editora Todavia, 2018).

Colunista do UOL

21/06/2020 12h31

Jornalistas aprendem desde cedo que ironia e sarcasmo são ferramentas do texto opinativo e devem ser evitadas no texto noticioso, que busca sempre a maior objetividade possível.

Diante das respostas descoladas da realidade dadas por Frederick Wassef em uma entrevista à Folha e em duas entrevistas à Globo no sábado (20), a repórter Andréia Sadi não conseguiu, porém, se conter. E fez muito bem.

O objetivo das entrevistas era buscar uma explicação para a presença de Fabrício Queiroz, ex-assessor de Flavio Bolsonaro, na casa de Wassef, em Atibaia (SP), no momento em que foi preso pela Polícia Civil na quinta-feira (18).

Após o advogado voltar a negar que tenha emprestado sua casa em Atibaia para Queiroz, a jornalista deixou a objetividade de lado e fez uma sequência de três perguntas agudamente sarcásticas, exibidas com legendas no "Jornal Nacional". "O Queiroz pulou o muro? Apareceu voando na casa do senhor? Ou foi levado por alguém?"

A jornalista possivelmente sabia que não receberia uma resposta adequada, mas as suas três perguntas irônicas tiveram o mérito de expor o absurdo da situação.

Mauricio Stycer