PUBLICIDADE
Topo

Equipe de jornalismo da Record é detida por usar drone para filmar presídio

Ilana Casoy e Luiz Bacci comandam a série "Em Nome da Justiça"  - Antonio Chahestian/Divulgação Record TV
Ilana Casoy e Luiz Bacci comandam a série "Em Nome da Justiça" Imagem: Antonio Chahestian/Divulgação Record TV
Mauricio Stycer

Mauricio Stycer

Mauricio Stycer é jornalista desde 1985. Repórter e crítico do UOL, colunista da Folha de S.Paulo, passou por Jornal do Brasil, Estadão, Folha, Lance!, Época, CartaCapital, Glamurama Editora e iG. É autor de "Topa Tudo por Dinheiro - As muitas faces do empresário Silvio Santos" (editora Todavia, 2018).

Colunista do UOL

26/06/2020 17h48

Uma equipe do programa "Em Nome da Justiça", da Record, foi detida nesta sexta-feira (26), em São José dos Campos (SP), durante a realização de uma reportagem. Segundo os relatos obtidos pela coluna, o problema foi causado pelo uso de um drone diante do Centro de Detenção Provisória da cidade.

Todos os profissionais, incluindo o repórter Mauro Júnior, foram liberados após passarem pela delegacia. O delegado requisitou um laudo para verificar se houve danos ao drone. Segundo o repórter, foram captados apenas 10 segundos de imagens antes da interrupção do trabalho.

O "Em Nome da Justiça", exibido originalmente no canal AXN, reconstitui casos policiais polêmicos. A versão exibida pela Record conta com apresentação de Luiz Bacci e comentários de Ilana Casoy

A direção da Record foi surpreendida com o incidente. A emissora recebeu a informação sobre o caso não dos jornalistas, mas da própria administração do presídio.

Procurada para comentar, a Record confirmou o incidente. "A gravação não foi pedida nem autorizada pela Record". Procurado, o repórter Mauro Júnior disse que "foi só um mal-entendido". Ele diz que a equipe não foi detida, mas confirma que todos os profissionais foram levados para a delegacia. Segundo os relatos ouvidos pela coluna, o drone pertencia a ele.

Mauricio Stycer