PUBLICIDADE
Topo

Globoplay lança quinta produção da quarentena; programa de Adnet é o melhor

Lucio Mauro Filho, Fernando Caruso, Fabíula Nascimento (no alto), Bruno Mazzeo, Paulo Vieira e Debora Lamm em "Cada um no Seu Quadrado" - Reprodução
Lucio Mauro Filho, Fernando Caruso, Fabíula Nascimento (no alto), Bruno Mazzeo, Paulo Vieira e Debora Lamm em "Cada um no Seu Quadrado" Imagem: Reprodução
Mauricio Stycer

Mauricio Stycer

Mauricio Stycer é jornalista desde 1985. Repórter e crítico do UOL, colunista da Folha de S.Paulo, passou por Jornal do Brasil, Estadão, Folha, Lance!, Época, CartaCapital, Glamurama Editora e iG. É autor de "Topa Tudo por Dinheiro - As muitas faces do empresário Silvio Santos" (editora Todavia, 2018).

Colunista do UOL

03/07/2020 13h58

O Globoplay estreou nesta sexta-feira (03) o quinto formato original produzido de forma caseira neste período de quarentena e isolamento social.

O primeiro foi "Sinta-se em Casa", protagonizado por Marcelo Adnet. Depois veio "Que Tal um Pouco de Esperança e Boas Notícias", feito por Luciano Huck. Na sequência foi lançado "Sterblitch não tem um Talk Show: o Talk Show". Há uma semana, estreou "Diário de um Confinado", com Bruno Mazzeo". E agora "Cada um no Seu Quadrado", protagonizado pelos atores Fernando Caruso e Paulo Vieira.

Deve-se, em primeiro lugar, louvar o esforço de produzir neste momento em que os estúdios Globo estão fechados. Todas estas séries estão sendo realizadas de forma remota, em residências transformadas em "estúdio", com equipes técnicas e de criação operando à distância.

Sinta-se em casa - Reprodução - Reprodução
Marcelo Adnet imita Jair Bolsonaro e outras figuras do mundo político no programa "Sinta-se em Casa"
Imagem: Reprodução


O mais bem-sucedido é "Sinta-se em Casa". Embora seja fruto da quarentena, é o único que transcende a problemática da pandemia e do isolamento social. Com imitações impagáveis e um texto afiadíssimo, Adnet tem feito uma ótima crônica diária da situação política do país.

Huck Boas Noticias - Divulgação/TV Globo - Divulgação/TV Globo
Luciano Huck apresenta “Que Tal um Pouco de Esperança e Boas Notícias"
Imagem: Divulgação/TV Globo
O programa de Huck lembra muito "Some Good News", uma produção igualmente caseira, protagonizada pelo ator John Krasinski (o Jim Halpert de "The Office"). É uma tentativa de vender otimismo e valorizar boas iniciativas neste período de baixo astral - o mesmo espírito do "Caldeirão", mas sem enrolação. O apresentador da Globo diz contar com a ajuda dos filhos na produção.

O formato protagonizado por Eduardo Sterblitch é o mais experimental. O programa é resultado de duas gravações abertas ao público ("lives"), no qual ocorrem interações com o apresentador, e entrevistas que ele conduz com personalidades. O resultado final, muito editado, é exibido no serviço de streaming semanalmente.

A série de Bruno Mazzeo foi a iniciativa mais ambiciosa. É uma ficção, em torno do cotidiano de Murilo, um sujeito de classe média, que mora sozinho, na zona sul do Rio, às voltas com os perrengues da quarentena.

Mazzeo - Globo/Glauco Firpo - Globo/Glauco Firpo
Bruno Mazzeo é o protagonista de "Diário de um Confinado"
Imagem: Globo/Glauco Firpo
Criado em parceria com a mulher do ator, a diretora Joana Jabace, o programa foi gravado dentro do apartamento do casal e conta com participações, remotas, de um elenco de peso (Renata Sorrah, Fernanda Torres, Debora Bloch, Lucio Mauro Filho, Luciana Paes). Com episódios curtos, em torno de 10 minutos, oferece diversão leve, talvez leve demais.

O mais recente lançamento, "Cada um no Seu Quadrado", é uma espécie de talk show, comandado por Fernando Caruso e Paulo Vieira e quatro convidados. Na estreia, aparecem Débora Lamm, Fabiula Nascimento, Bruno Mazzeo e Lúcio Mauro Filho, todos amigos.

Com 30 minutos de duração, o programa simula uma reunião caseira, com uma brincadeira de "Stop" (ou adedanha), com perguntas relacionadas à situação de quarentena.

Há também questionamentos e provocações que buscam produzir piadas. Logo no início, todos respondem sobre qual reunião gostariam de ter participado para entender como determinadas decisões foram tomadas. A melhor resposta (não vou dar spoiler) é a de Fabíula Nascimento. Também respondem se acreditam em fantasmas. O resultado, naturalmente, é irregular.

Com exceção do programa de Adnet, aberto, todos os demais são para assinantes do serviço.

Mauricio Stycer