PUBLICIDADE
Topo

Homem é morto após ser exibido como suspeito de crime no Cidade Alerta

"Quem é amigo desse homem sabe quem é", disse Bacci ao apresentar imagem borrada de suspeito de crime  - Reprodução
"Quem é amigo desse homem sabe quem é", disse Bacci ao apresentar imagem borrada de suspeito de crime Imagem: Reprodução
Mauricio Stycer

Mauricio Stycer

Mauricio Stycer é jornalista desde 1985. Repórter e crítico do UOL, colunista da Folha de S.Paulo, passou por Jornal do Brasil, Estadão, Folha, Lance!, Época, CartaCapital, Glamurama Editora e iG. É autor de "Topa Tudo por Dinheiro - As muitas faces do empresário Silvio Santos" (editora Todavia, 2018).

Colunista do UOL

14/07/2020 16h54

Um homem foi assassinado com sete tiros horas depois de ter sido apontado como suspeito de um crime durante o "Cidade Alerta", da Record. Segundo o relato da polícia, o crime foi cometido por várias pessoas em Salto (SP).

Durante a tarde de segunda-feira (13), o "Cidade Alerta" tratou do assassinato de Priscila Martins, uma jovem de 18 anos. A certa altura da reportagem, o apresentador Luiz Bacci informou que a polícia já tinha um suspeito, mas ainda não o havia detido. O programa, então, exibiu uma imagem borrada do homem.

Disse Bacci: "Ainda não temos autorização para mostrar sem esse borrão. Mas quem conhece esse homem já passa informações para a polícia. Quem é amigo desse homem sabe quem é".

E acrescentou: "Por favor, não façam justiça com as próprias mãos. Até porque ele é investigado."

Bacci disse ainda: "Sabe alguma coisa dele? Sabe onde mora? Não tome você alguma medida já procurando ele direto. Não se arrisque. Conte para a polícia".

O boletim de ocorrência registra que o filho da vítima contou que após a exibição da reportagem do "Cidade Alerta", "alguns moradores daquela comunidade, bem como outros desconhecidos, estiveram em sua casa e chamaram seu pai para conversar". Na sequência, seu pai foi levado para local desconhecido.

Ainda segundo o relato do boletim de ocorrência, os próprios autores do crime divulgaram fotos de seu corpo em redes sociais e aplicativos de mensagens.

Questionado pela coluna sobre a razão de o "Cidade Alerta" ter divulgado a imagem do suspeito sabendo que ele poderia ser reconhecido, a Record disse que "entre amigos, familiares, testemunhas e moradores da região de Salto, todos já sabiam quem era".

Veja a íntegra da nota enviada pela emissora:

"O 'Cidade Alerta' tinha as informações sobre o nome e a foto do suspeito. Entre amigos, familiares, testemunhas e moradores da região de Salto, todos já sabiam quem era. Inclusive a investigação aponta que a pessoa era conhecida de Priscila Martins, que foi encontrada morta depois de ser torturada e o corpo queimado. O mesmo suspeito é apontado como envolvido em outros crimes. Diante da revolta que a informação causou na região, o 'Cidade Alerta' decidiu não identificar o suspeito e fez um apelo para quem soubesse o paradeiro do investigado que informasse a polícia e que ninguém tentasse fazer justiça com as próprias mãos."

Mauricio Stycer