PUBLICIDADE
Topo

Governo Bolsonaro festeja e "politiza" transmissão do Fla-Flu pelo SBT

Imagem publicada pelo presidente Jair Bolsonaro em suas redes sociais na noite de quarta-feira (15) - Reprodução
Imagem publicada pelo presidente Jair Bolsonaro em suas redes sociais na noite de quarta-feira (15) Imagem: Reprodução
Mauricio Stycer

Mauricio Stycer

Mauricio Stycer é jornalista desde 1985. Repórter e crítico do UOL, colunista da Folha de S.Paulo, passou por Jornal do Brasil, Estadão, Folha, Lance!, Época, CartaCapital, Glamurama Editora e iG. É autor de "Topa Tudo por Dinheiro - As muitas faces do empresário Silvio Santos" (editora Todavia, 2018).

Colunista do UOL

16/07/2020 00h10

A transmissão da final do Campeonato Carioca de 2020 pelo SBT na noite de quarta-feira (15) ganhou um tom político ao ser festejada pelo secretário-executivo do Ministério das Comunicações, Fabio Wajngarten, e pelo próprio presidente Jair Bolsonaro.

O Ministério das Comunicações, recriado por Bolsonaro no início de junho, é comandado por Fabio Faria, que é casado com Patrícia Abravanel, filha de Silvio Santos.

Wajngarten comentou no Twitter a notícia, publicada nesta coluna, sobre a comercialização de seis cotas de patrocínio pela emissora de Silvio Santos.

"O sucesso comercial do SBT com seis cotas para o patrocínio do jogo de hoje é a comprovação de que a MP 984/20, criada pelo Presidente Jair Bolsonaro, veio para mudar a realidade do futebol brasileiro. Parabéns ao SBT e aos anunciantes!", escreveu Wajngarten.

À noite, perto do final da partida, Bolsonaro publicou em suas redes sociais uma imagem em que aparecia vestido com uma camisa do Flamengo diante de um aparelho de TV, assistindo ao jogo. A mão direita do presidente aponta para a logomarca do SBT na tela.

A Medida Provisória a que se referiu Wajngarten foi articulada pela direção do Flamengo e editada por Bolsonaro em junho, alterando as negociações de direitos de transmissão de futebol. O clube mandante passou a ter os direitos de arena sobre o jogo, e não mais os dois times juntos.

Dessa forma, o Flamengo, que não tinha acordo com a Globo para a transmissão de seus jogos no Carioca, se sentiu à vontade para comercializar os direitos de suas últimas partidas. A iniciativa levou a emissora carioca a romper o contrato que tinha com a Federação do Rio de Janeiro.

Foi este imbróglio que abriu a possibilidade para o que ocorreu nesta quarta-feira - a transmissão da final pelo SBT. Com suas mensagens nas redes sociais, Wajngarten e Bolsonaro quiserem lembrar que o governo teve papel importante no fato.

Mauricio Stycer