PUBLICIDADE
Topo

Em fala, Bolsonaro reproduz editorial de Roberto Marinho; JN cita panelaço

Presidente Jair Bolsonaro faz pronunciamento de 7 de setembro - Reprodução
Presidente Jair Bolsonaro faz pronunciamento de 7 de setembro Imagem: Reprodução
Mauricio Stycer

Mauricio Stycer é jornalista desde 1985. Repórter e crítico do UOL, colunista da Folha de S.Paulo, passou por Jornal do Brasil, Estadão, Folha, Lance!, Época, CartaCapital, Glamurama Editora e iG. É autor de "Topa Tudo por Dinheiro - As muitas faces do empresário Silvio Santos" (editora Todavia, 2018).

Colunista do UOL

07/09/2020 22h04Atualizada em 08/09/2020 16h01

Numa nova provocação à Globo, o presidente Jair Bolsonaro citou no pronunciamento em rede nacional feito na noite desta segunda-feira (07) trechos de um editorial de "O Globo", publicado em 1984, em defesa do golpe militar de 1964.

O texto assinado por Roberto Marinho (1904-2003) começa assim: "Participamos da Revolução de 1964, identificados com os anseios nacionais de preservação das instituições democráticas, ameaçadas pela radicalização ideológica, greves, desordem social e corrupção generalizada".

Em sua fala, Bolsonaro disse: "Nos anos 60, quando a sombra do comunismo nos ameaçou, milhões de brasileiros, identificados com os anseios nacionais de preservação das instituições democráticas, foram às ruas contra um país tomado pela radicalização ideológica, greves, desordem social e corrupção generalizada".

Em 2013, referindo-se ao texto publicado na primeira página em 1984, "O Globo" afirmou que "o apoio editorial ao golpe de 64 foi um erro".

"O apoio a 1964 pareceu aos que dirigiam o jornal e viveram aquele momento a atitude certa, visando ao bem do país. À luz da História, contudo, não há por que não reconhecer, hoje, explicitamente, que o apoio foi um erro, assim como equivocadas foram outras decisões editoriais do período que decorreram desse desacerto original. A democracia é um valor absoluto. E, quando em risco, ela só pode ser salva por si mesma".

A menção de Bolsonaro ao editorial de 1984 não foi registrada pelo "Jornal Nacional" desta segunda-feira. O telejornal fez um resumo sucinto de 38 segundos sobre o pronunciamento do presidente, observando que ele "destacou a importância da democracia e ressaltou o seu compromisso com a Constituição e a preservação da soberania nacional e da liberdade".

Em seguida, o JN observou que "durante o pronunciamento do presidente houve 'panelaços' em quase todas as regiões do país". O telejornal reproduziu, então, por mais de 60 segundos imagens de protestos contra Bolsonaro.

Em agosto de 2018, durante a campanha presidencial. Bolsonaro fez provocação semelhante em uma entrevista à GloboNews, citando o editorial de Marinho de 1984. Naquela ocasião, a jornalista Miriam Leitão leu uma resposta transmitida pelo ponto eletrônico lembrando que "O Globo" revira a sua posição em 2013.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL