Topo

Televisão

Ela não morreu! Amália e outros personagens que sobreviveram após sucesso

Montagem/UOL
Personagens previstos para morrer, mas salvos do fim por seus intérpretes Imagem: Montagem/UOL

Carolina Farias

do UOL, no Rio

11/07/2018 04h00

Talento e carisma promovem milagres no desenrolar das novelas. No ar até o fim de julho, "Deus Salve o Rei" tem uma protagonista que ia "morrer por um tempo", mas a importância de Amália (Marina Ruy Barbosa) motivou a mudança da sinopse na novela das 19h.  

Mudar o destino de seu personagem não é para qualquer intérprete e o UOL listou alguns exemplos de artistas que conseguiram defender seus tipos com tanto destaque que sobreviveram para contar os seus finais.

  • Divulgação/TV Globo

    Vida após a morte

    A plebeia Amália se apaixona por Afonso (Romulo Estrela), herdeiro do trono de Montemor em "Deus Salve o Rei". A princípio, ela morreria, mas a sorte dela mudou graças à popularidade da atriz. Agora, ela fica até o último capítulo para se casar com o amado. A atriz vai emendar a novela com a preparação para "O Sétimo Guardião", que começa em agosto no lugar de "Segundo Sol".

    Em "Amor à Vida", de 2013, Nicole, personagem de Marina, morreu em seu casamento, mas o sucesso dela era tamanho que a personagem voltou como espírito para falar com o amado Thales (Ricardo Tozzi).

  • João Miguel Júnior/Globo

    Barão de vida longa

    O Barão Afrânio Cavalcante (Ary Fontoura) de "Orgulho e Paixão" tinha vida curta na trama. Morreria no capítulo 40 para dar espaço para a reviravolta da história da neta Ema (Agatha Moreira). O veterano ator de 85 anos soube conduzir o personagem de forma que seu rumo na novela mudou. "Quem trabalha em novela nunca deve fechar o personagem definitivamente. Deixo lacunas e os autores preenchem", disse Ary ao UOL, todo satisfeito com o trabalho

  • Raquel Cunha/Globo

    Cafetina até o fim

    Dona do bordel em "O Outro Lado do Paraíso", dona Caetana (Laura Cardoso) iria morrer na primeira fase da trama. Mas o apelo da simpática ex-prostituta foi tanto que conquistou o público e faz Walcyr Carrasco desistir de matar a personagem. A morte ocorreu só no último capítulo, com direito a show de Pabllo Vittar em seu velório.

  • Maurício Fidalgo/Globo

    Sabiá cantou até o fim

    Outro "marcado para morrer" e que caiu no gosto do público foi Sabiá (Jonathan Azevedo), o carismático traficante de "A Força do Querer". O personagem morreria no meio da novela, mas Gloria Perez mudou de ideia.

    Antes mesmo do fim da produção, Jonathan teve seu contrato com a Globo estendido e foi escalado para a minissérie "Ilha de Ferro". Neste ano, ele ainda será visto no "Criança Esperança" e no reality musical "Popstar", que estreia em setembro

  • Globo

    Morte de brincadeirinha

    O sucesso de Elvira Matamouros (Ingrid Guimarães) de "Novo Mundo", exibida ano passado, foi tanto que a atriz trambiqueira ficou até o fim da trama e ainda ganhou final feliz. Ingrid soube usar seu perfil cômico na personagem, que também carregava o drama do amor pelo filho postiço Quinzinho (Theo de Almeida). Ela até chegou a simular uma falsa morte, mas foi desmascarada

  • Reproduções/Globo

    Salva no último instante

    Maria Eduarda (Gabriela Duarte), de "Por Amor" (1997), irritou tanto o público que provocou a primeira campanha na internet contra um personagem. No site "Eu odeio a Maria Eduarda", o público podia mandar mensagens a Manoel Carlos pedindo a morte da filha mimada de Helena (Regina Duarte) e até arremessar tomates virtuais.

    A morte de Maria Eduarda estava na sinopse, seria a forma para resolver o impasse da troca de bebês feita pela mãe. Maneco, porém, optou por "salvar" Maria Eduarda duas semanas antes de a trama terminar de ser gravada