Topo

Televisão

Machismo, agressão, racismo: relembre as polêmicas da história do "Pânico"

Reprodução/Youtube
Imagem: Reprodução/Youtube

Do UOL, em São Paulo

27/10/2017 04h00

Se o “Pânico” realmente acabar em dezembro, como noticiou o colunista do UOL Flávio Ricco, ficará marcado por revelar talentos, pela inovação no humor e pelas polêmicas que acumulou durante os 14 anos de existência na TV.

Ainda não há uma manifestação oficial do humorístico e nem da Band, mas, segundo Ricco, não existe mais interesse da emissora em continuar com o programa.

Caso não seja mais exibido, o humorístico deixará órfãos uma legião de fãs (e de críticos). Controverso, em sua trajetória o programa já foi acusado de machismo, de fazer piadas de cunho racista, entre outras, e já teve seus repórteres agredidos por entrevistados.

Relembre algumas polêmicas da história do programa:

  • Reprodução/Youtube

    Na cara!

    Uma das primeiras polêmicas envolvendo o "Pânico" foi protagonizada por Victor Fasano e o Repórter Vesgo (Rodrigo Scarpa), em 2004, quando o quando o "Pânico" ainda era exibido pela RedeTV!. Vesgo foi entrevistar o ator e fez uma piadinha com seu nome. "Victor, faz anos que não te vejo". Fasano ficou furioso e lascou um tapa na cara do humorista. "Honestamente, não me arrependo do que fiz. Mesmo porque não fiz para machucar. Foi só um alerta. O rapaz ficou apenas um pouco ruborizado", disse Fasano em entrevista, um ano depois. Quem também agrediu Vesgo foi Netinho de Paula, que deu um soco no rosto do repórter, em 2005. A cena aconteceu em um evento na época do lançamento da TV da Gente, um canal UHF que era comandado por Netinho. O cantor se revoltou com a pergunta de Vesgo. "E aí, Netinho, quer dizer que você vai abrir seu canal pra todo mundo?". Netinho nem chegou a responder. O humorista entrou na Justiça contra o cantor e conseguiu uma indenização. Netinho afirmou em entrevistas que se arrependeu da agressão.

  • Reprodução/Youtube

    Quiproquó com Preta Gil

    Preta Gil foi alvo dos humoristas do "Pânico" durante muito anos e na maioria das vezes fazendo piada com o corpo da cantora. Em 2007, Preta curtia uma praia no Rio com Sabrina Sato quando levou um "caldo" no mar e quase ficou sem a parte de cima do biquíni. Na época, Sabrina ainda era do programa, que fez a "reconstituição" da cena e chamou Preta de "baleia encalhada". Preta chegou a romper a amizade com Sabrina, que participou da "brincadeira", mas depois a apresentadora pediu desculpas e as duas fizeram as pazes. Em outras ocasiões, o humorístico entregou um ovo de Páscoa gigante para a cantora e as roupas de André Marques depois da cirurgia bariátrica, o que Preta não gostou nada. O "Pânico" mandou Nicole Bahls e Matheus Massafera, amigos pessoais da cantora, pedirem desculpas, mas ela não perdoou.

  • Reprodução/Youtube

    As indesejadas "Sandálias da Humildade"

    Um dos primeiros quadros de sucesso do "Pânico" foi o "Sandálias da Humildade", que perseguia artistas que se recusaram em algum momento a falar com o programa. Em 2004, uma das missões do humorístico era entregar as "sandálias da humildade" a Clodovil, que na época também tinha um programa na RedeTV!. Entretanto, o apresentador não entrou na brincadeira e se recusava a receber o presente. Clodovil chegou a fazer um desabafo ao vivo em seu programa criticando o "Pânico". Depois, ele deu entrevista "paz e amor" para Vesgo e Ceará. Em 2005, Carolina Dieckmann também se recusou a calçar as sandálias e foi perseguida por Vesgo e Ceará. Ela processou o programa quando a dupla foi ao condomínio onde a atriz morava e tentou chamar a atenção dela com um guindaste e um megafone. Ela ganhou R$ 35 mil por danos morais. Jô Soares também foi alvo constante do quadro.

  • Reprodução/Youtube

    Cozinheiro "black face"

    Em 2015, Eduardo Sterblitch causou revolta com o personagem Africano, um dos competidores da paródia que o "Pânico na Band" fez do "MasterChef Brasil". O personagem, que tinha o rosto todo coberto com tinta preta, não falava e só fazia sons ininteligíveis, como se fosse um selvagem. A imitação pegou muito mal e o humorista foi denunciado por racismo. Depois da repercussão negativa, Sterblitch pediu desculpas e deixou o "Pânico".

  • Reprodução

    Lambida em cosplay

    A mais recente polêmica aconteceu em julho deste ano, quando um dos humoristas do programa apareceu com o que parecia ser seu pênis para fora da calça durante o quadro "Poim na Tela", que imita o "Brasil Urgente". Mesmo sem saber se aquilo era mesmo o órgão genital do humorista ou uma prótese, muitos telespectadores ficaram indignados com a brincadeira, que ocorreu ao lado de mulheres no palco. Em 2015, o "Pânico" também provocou polêmmica na Comic Con Experience de São Paulo. Os repórteres fizeram brincadeiras de mau gosto com os frequentadores do evento de cultura pop e um deles chegou a lamber uma garota que estava de cosplay. A matéria revoltou os frequentadores e a organização, que baniu o programa das próximas edições.