Topo

Televisão

A TV brasileira já teve sua "fase anal": 5 momentos que fariam Lulu corar

Reprodução/SBT/TV Globo/YouTube Montagem/UOL
Não sabemos a música, mas a TV brasileira já teve a sua fase anal Imagem: Reprodução/SBT/TV Globo/YouTube Montagem/UOL

Do UOL, em São Paulo

20/12/2017 19h25

O cantor Lulu Santos puxou a polêmica ao afirmar, no início da semana, que a música brasileira parecia "retornar à 'fase anal'", no mesmo dia em que Anitta lançou seu clipe "Vai Malandra" --cuja abertura mostra um close sem retoques da bunda da cantora.

A declaração do técnico do "The Voice Brasil", claro, provocou reações contrárias e a favor, e até mesmo famosos entraram na discussão.  Lívia Andrade disse :"aceita, bundão; Rogério Skylab disse que seu próximo disco terá "c... para todo lado". Lulu logo se defendeu dizendo que não se referia a Anitta quando postou o comentário.

Não sabemos exatamente sobre a música, mas a TV brasileira já viveu a sua "fase anal" sem pudores e com bundas  bem menos recatadas, sem censura.

A seguir, o UOL selecionou cinco episódios que fariam Lulu corar.

Fase anal da TV brasileira

  • Na boquinha da garrafa

    Nos anos 1990, os principais grupos de axé e pagode bombavam em programas de auditório, como o "Domingo Legal", no SBT, e o "Domingão do Faustão", na Globo. Na lista, nomes como "É o Tchan", "Tchakabum" e "Cia do Pagode". A concorrência era duríssima. Pelo menos naquela época a TV tinha pouco pudor e, com a classificação indicativa ainda engantinhando, os programas abusavam dos closes no derrière das dançarinas, em hits como o infame "Boquinha da garrafa".

  • Nu com a mão no bolso

    As novelas também já foam mais atrevidas. E bumbuns de fora, uma coisa absolutamente normal. Em "Brega & Chique", trama das 7 escrita por Cassiano Gabus Mendes, em 1987, a Globo inovou ao colocar um modelo com o traseiro à mostra logo na abertura. Ele desfilava todos os dias por um cenário escuro ao som de "Pelado", de Ultraje a Rigor.

  • Sutileza para quê?

    Outro exemplo da "fase anal" nas novelas aconteceu em "De Quina pra Lua" (1985-1986), exibida na faixa das 18h. Na trama, como relembrou o colunista do UOL, Nilson Xavier, um pobretão fica milionário quando joga na loto e acerta a quina. O título, como parece, é um trocadilho com a expressão popular que se diz sobre alguém que tem muita sorte: "Nasceu com o (...) virado pra lua". Mas se ainda restava alguma dúvida, a capa da trilha internacional da novela eliminou sem nenhuma sutileza.

  • Na tela da TV

    E o que dizer das transmissões de Carnaval? Não existe momento que englobe mais todas as fases do desenvolvimento da sexualidade que esse. Neste ano, durante a transmissão da festa pela Rede TV!, a modelo Ju Isen protagonizou uma das cenas mais bizarras de todos os tempos. Com o corpo coberto apenas por tinta, a pedido dos apresentadores, ela deu uma sambadinha e uma agachadinha de costas para a câmera, que rapidamente desviou da imagem. Mas era tarde: o episódio ganhou as redes sociais.

  • "Ajudinha"

    Em junho, a cantora Simone, da dupla com Simaria, surpreendeu a sexóloga Laura Muller, no "Altas Horas", ao pedir conselhos de como facilitar no sexo anal. "Muitas pessoas querem saber. Tem alguma forma que facilite a gente dar a roda?", questionou a sertaneja sem demonstrar nenhum pudor. A pergunta, obviamente, levou o público às gargalhadas e fez a alegria dos internautas.