Topo

Televisão

De "Prova de Amor" a Moisés: 5 novelas da Record que incomodaram a Globo

Divulgação/Record/Munir Chatack/Divulgação/Record TV/Reprodução/Record
Imagem: Divulgação/Record/Munir Chatack/Divulgação/Record TV/Reprodução/Record

Guilherme Machado

Do UOL, em São Paulo

05/09/2018 04h00

Apesar de terem tido uma trajetória irregular na emissora, as novelas sempre foram parte importante da programação da Record, que já teve em seu casting grandes nomes do gênero, como Benedito Ruy Barbosa, Ivani Ribeiro e Lauro César Muniz.

Depois de “O Espantalho”, em 1977, a emissora passou 20 anos sem exibir telenovelas. Após retornarem à grade, com “Canoa do Bagre” (1997), o canal começou a terceirizar a produção de seus folhetins.

Em 2000, ela voltou a ser responsável por suas próprias novelas com “Marcas da Paixão” (2000). Entretanto, as tramas da emissora amargaram baixas audiências e problemas de produção.

Foi só a partir do remake “A Escrava Isaura” (2004), de Tiago Santiago, que as telenovelas da Record conseguiram um novo fôlego, emplacando histórias de sucesso de audiência que conseguiram, inclusive, incomodar a Globo, mais do que consolidada como líder no formato.

Nos 65 anos da Record, o UOL relembra algumas das novelas campeãs de audiência da emissora:

  • Divulgação/Record

    "Prova de Amor" (2006)

    Depois do sucesso do ramake de "A Escrava Isaura", Tiago Santiago apresentou uma novela original para a Record, com uma trama inspirada na novela "A Pequena Órfã" (1968). A primeira produção do RecNov, o núcleo de dramaturgia da emissora, se mostrou um verdadeiro fenômeno de audiência.

    Com o fraco desempenho de "Bang Bang", que era exibida pela Globo no mesmo horário, "Prova de Amor" conseguiu conquistar não apenas um público cativo, mas também a liderança do público, chegando a ficar à frente do "Jornal Nacional".

    Com elenco que reunia muitos ex-globais, como Marcelo Serrado, Lavínia Vlasak, Leonardo Vieira, Vanessa Gerbelli e Ítala Nandi, o folhetim teve grande repercussão e permanece como um dos maiores sucessos da Record TV.

  • Reprodução/Record

    "Vidas Opostas" (2007)

    O sucesso se intensificou com "Vidas Opostas". Exibida às 22h, o drama do amor de Miguel (Léo Rosa) e Joana (Maytê Piragibe), um rapaz rico e uma moça pobre, cativou os espectadores e colocou a Record por diversas vezes à frente da Globo, em especial às quartas, quando a emissora carioca tradicionalmente exibe futebol.

    O último capítulo foi considerado um marco para a dramaturgia na emissora, com a Record na liderança durante 44 minutos.

    Além disso, "Vidas Opostas" conseguiu a crítica pelo retrato ousado do Rio de Janeiro, que foi mostrada como uma cidade violenta e cheia de disparidades sociais, bem diferente do cenário mostrado até então em outras novelas.

  • Reprodução/Record

    "Caminhos do Coração -- Os Mutantes" (2007)

    Uma das novelas mais comentadas -- e criticadas -- da televisão brasileira, "Caminhos do Coração", de Tiago Santiago, ousou ao trazer a ficção científica para a teledramaturgia. A trama girava em torno da Progênese, uma empresa médica poderosa e influente, que sob o comando da doutora Júlia (Ítala Nandi), criou uma série de seres geneticamente modificados com poderes especiais.

    Com um forte apelo ao público adolescente, a história dos mutantes conquistou fãs e mais uma vez colocou a Record em primeiro lugar. O sucesso era tanto que a Record antecipou a exibição do último capítulo da primeira fase em quase 1h30. A estratégia deu resultado: "A Favorita" (2008), que iniciava na Globo no mesmo dia, acabou rendendo a pior estreia de uma novela do horário nobre para a emissora até então.

    Mas talvez o maior legado da trama sejam os seus infinitos memes, criados a partir de diálogos bizarros e alguns efeitos especiais pouco sofisticados. Quem conhece a origem da expressão: "Nossa, que sapão" não esquece.

  • Divulgação/Record

    "Chamas da Vida" (2008)

    Segundo folhetim de Cristianne Fridman na Record, "Chamas da Vida" provou ser boa de repercussão. Depois de um início complicado, no qual competia com a reprise de "Pantanal" (1990), exibida pelo SBT, a novela conseguiu se consolidar no segundo lugar e também teve seus momentos de liderança.

    Chamaram atenção, sobretudo, os vários temas polêmicos tratados ao longo da trama, que provocaram muito debate à época. Uma das tramas de maior repercussão foi a de Vivi (Letícia Colin, que vive atualmente a Rosa de "Segundo Sol"), que engravidou após ser violentada pelo pedófilo Lipe (André Di Mauro).

    A novela também mobilizou o público em torno de um mistério: quem era o incendiário misterioso que promovia barbaridades para incriminar Vilma, a grande vilã interpretada por Lucinha Lins?

  • Munir Chatack/Divulgação/Record TV

    "Os Dez Mandamentos" (2015)

    De longe um dos maiores fenômenos de audiência da Record TV, a novela bíblica provocou um verdadeiro maremoto, com perdão do trocadilho, na concorrência. A emissora se beneficiou do fiasco de "Babilônia" (2015) na Globo e emplacou uma trama que, apesar de tratar de uma história muito conhecida, teve muito apelo popular.

    A estreia de "A Regra do Jogo" fez pouco para ajudar a líder de audiência. O capítulo que exibiu a aguardada abertura do Mar Vermelho chegou a 28 pontos no Ibope na Grande São Paulo, ficando 8 pontos à frente da Globo (cada ponto equivale a 199,3 mil espectadores na região).

    E a Record fez de tudo para surfar na onda: bolou uma segunda temporada da novela, criou um musical, a transformou em filme e comercializou uma série de produtos ligados à trama. Além disso, a emissora decidiu investir de vez no filão bíblico, produzindo apenas novelas bíblicas desde então.