Televisão

Tinky Winky era gay? Nos 20 anos de "Teletubbies" lembre polêmicas

Divulgação
"Teletubbies" completa 20 anos; relembre polêmicas e curiosidades do programa de TV Imagem: Divulgação

Do UOL, em São Paulo

27/03/2017 04h00

“Tinky Winky, Dipsy, Laa-Laa, Pooooooo....”. Vinte anos atrás quatro alienígenas coloridos se apresentavam pela primeira vez na abertura do “Teletubbies”, programa exibido originalmente pela BBC e que conquistou crianças do mundo todo.

A atração, que exibia um episódio para cada dia do ano (são ao todo 365 capítulos!), foi transmitida pela primeira vez no Brasil pela TV Globo em 1999 dentro do programa “Angel Mix”, da Angélica.

Distribuído para 120 países e adaptado para 45 idiomas, o infantil voltou a ser produzido em 2015. Ao todo foram feitos 60 novos episódios, que ganharam definição gráfica mais moderna.

Mas além do sucesso que deixava crianças grudadas na tela, os personagens despertaram muita curiosidade: Tinky Wink era gay? Eram adultos ou crianças que vestiam as fantasias? Relembra algumas:

  • Imagem: Reprodução/Montagem UOL
    Reprodução/Montagem UOL
    Imagem: Reprodução/Montagem UOL

    Afinal, Tinky Winky era gay?

    O teletubbie roxo de antena triangular na cabeça era interpretado por Simon Shelton, um dançarino de balé profissional que por conta da profissão relutou em aceitar o papel para o programa infantil.

    "Comecei minha carreira como dançarino e havia acabado de começar a trabalhar como coreógrafo. Pensei que era um risco, mas certamente valeu a pena", diz ele para o jornal "The Sun".

    Ele lembra, em entrevista para o tabloide, que recebia muitas cartas assinadas tanto pelas crianças quanto pelos pais. E brinca: "Acho que éramos como os Beatles da TV infantil".

    O que muita gente não sabe é que Shelton não foi o primeiro Tinky Wink. O intérprete original, o humorista de stand-up Dave Thompson, se envolveu em uma polêmica e acabou sendo retirado do programa pela produtora Ragdoll.

    O que a empresa alegou na época é que ele estava "desvirtuando" o teletubby, dando a entender de que ele era gay! Até o próprio Shelton esclarece que era bastante questionado sobre o gosto de Tink Winky por bolsas. Afinal, a diversidade sexual estava presente no programa infantil?

    A pergunta nunca foi claramente respondida. "As pessoas sempre me perguntam se ele é gay. Mas o personagem foi feito para ter aproximadamente três anos, então essa é realmente uma pergunta idiota", afirma.

  • Imagem: Reprodução/Montagem UOL
    Reprodução/Montagem UOL
    Imagem: Reprodução/Montagem UOL

    Diversidade na frente e atrás das câmeras

    O empolgado teletubbie verde era encarnado por um comediante de stand-up. John Simmit conta que era reconhecido por ter sido o Dipsy mesmo após o fim do programa:

    "Esse meio é muito pequeno, então as pessoas acabavam descobrindo que eu era o Dipsy - mas eu nunca falei sobre isso no palco".

    O "Teletubbies" procurava, sem levantar bandeira, inserir o tema da diversidade racial. É por isso que o alienígena verde tinha a pele mais escurecida do que os demais coleguinhas. O que pouca gente sabia é que o próprio ator que o representava era negro.

  • Imagem: Reprodução/Montagem/UOL
    Reprodução/Montagem/UOL
    Imagem: Reprodução/Montagem/UOL

    "De novo?" Atores gravavam por até 11 horas

    Nikky Smedley, a teletubbie amarela Laa-Laa, também era dançarina. Ela conseguiu o papel depois de responder a um anúncio de jornal.

    Em uma entrevista para o tabloide "Daily Mail", Nikky contou que, embora a vida de teletubbie sempre fosse divertida, nos bastidores não era nada fácil ficar dentro de fantasias gigantes.

    Ela disse que os atores trabalhavam por até 11 horas por dia, que as roupas eram pesadas e todos passavam muito calor. Outra curiosidade é que, como as fantasias eram enormes, os coelhos que habitavam a terra dos teletubbies precisavam ser de uma espécie de tamanho grande para que não ficassem pequenos demais perto dos personagens coloridos.

  • Imagem: Reprodução/Montagem UOL
    Reprodução/Montagem UOL
    Imagem: Reprodução/Montagem UOL

    A difícil carreira de um ex-teletubbie

    Ex-BBB, ex-Fazenda, ex-paquita, ex-galã... Quem um dia foi teletubbie também viveu o pesadelo de ser rotulado. A chinesa Pui Fan Lee, a Po, se envolveu em uma polêmica e tanto só porque fez uma cena fictícia de sexo com outra mulher em um programa de TV.

    Ao falar da performance ousada, que chocou o público, ela se defendeu dos ataques: "Eu não aceitei o papel de interpretar uma lésbica para fazer algo propositalmente polêmico. Sim, eu era a Po. Mas eu sou uma atriz também e o papel me pareceu interessante, animador e desafiador".

    A dificuldade em se desvincular dos personagens em "Teletubbies" era tão grande que alguns atores acabaram conseguindo papéis na TV somente em programas infantis.

  • Imagem: Reprodução/Fotomontagem
    Reprodução/Fotomontagem
    Imagem: Reprodução/Fotomontagem

    "Eu sou o sol!"

    Quem era o sol que alegrava a terra dos teletubbies? Na realidade, o bebê do programa infantil mais popular da TV vinte anos atrás era uma menina! A revelação veio a público há pouco mais de dois anos, quando a identidade dela foi revelada.

    Jess Smith fez o programa do canal britânico BBC quando tinha apenas nove meses. Aos 19 anos, na universidade, ela contou por que somente depois de tanto tempo resolveu dizer que era o sol.

    Os alunos foram convidados a compartilhar algo sobre eles que ninguém sabia. Foi então que Jess, uma garota tímida que havia acabado de entrar na faculdade, trouxe à tona o inimaginável: "Eu pensei que poderia contar a eles uma vez que vamos passar os próximos três anos juntos".

    Depois de vencer a timidez em sala de aula, ela espalhou a notícia ao mundo. Jess postou a seguinte mensagem em seu Facebook: "Comemorei recentemente meus 19 anos e depois de pensar bastante decidi que chegou a hora de dizer para todo mundo. Eu costumava esconder isso, mas depois de ser encorajada pelos meus amigos da faculdade, ganhei confiança para me revelar. Eu sou o sol do 'Teletubbies'".

    A jovem também contou, em entrevista à "BBC South East, como foi descoberta para o programa: "A minha mãe me levou ao hospital e, por coincidência, o produtor do programa estava lá para ver se encontrava um bebê sorridente para a série. Ela também falou que ficava sentada no sete em frente a um espelho e a uma câmera. "O meu pai fazia brincadeiras para tentar me fazer rir na TV", lembrou.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

TV e Famosos
do UOL
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
TV e Famosos
TV e Famosos
TV e Famosos
TV e Famosos
TV e Famosos
TV e Famosos
TV e Famosos
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
TV e Famosos
do UOL
TV e Famosos
TV e Famosos
TV e Famosos
TV e Famosos
TV e Famosos
TV e Famosos
TV e Famosos
TV e Famosos
TV e Famosos
TV e Famosos
TV e Famosos
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
TV e Famosos
TV e Famosos
Colunas - Ricardo Feltrin
TV e Famosos
TV e Famosos
TV e Famosos
TV e Famosos
TV e Famosos
TV e Famosos
TV e Famosos
TV e Famosos
TV e Famosos
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
Colunas - Flavio Ricco
TV e Famosos
Topo