TV e Famosos

1º longa do Porta dos Fundos vende 460 mil ingressos, mas decepciona

Rachel Tanugi Ribas/Divulgação
Imagem: Rachel Tanugi Ribas/Divulgação
Ricardo Feltrin

Ricardo Feltrin é colunista do UOL desde 2004. Trabalhou por 21 anos no Grupo Folha, como repórter, editor e secretário de Redação, entre outros cargos.

31/07/2016 15h25Atualizada em 31/07/2016 15h25

Um dos filmes mais badalados pela mídia e com maior divulgação dos últimos anos, “Porta dos Fundos - Contrato Vitalício” saiu de cartaz na semana retrasada com saldo de 460 mil ingressos vendidos, segundo a empresa Filme B informou a esta coluna.

Parece bastante para os padrões nacionais, mas o resultado decepcionou a produção, que esperava no mínimo o dobro --ou até o triplo-- com a primeira produção da trupe de humoristas.

O filme mal ficou três semanas em cartaz. A previsão inicial era de ao menos dois meses.

Aparentemente, a linguagem cinematográfica não funcionou tão bem como os esquetes da internet --Porta é um dos campeões de audiência online no país.

Até chegar às salas, o filme teve uma confecção “embolada”, com vários adiamentos nas gravações, reescritas de roteiro e algumas mudanças nos personagens.

O filme, orçado em R$ 5,6 milhões,  foi feito em grande parte com verbas obtidas a partir de leis de incentivo à cultura.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais TV e Famosos

Topo