Coluna

Ricardo Feltrin

Vice isolado no ibope, SBT fecha um ano à frente da Record em todo o país

Reprodução/SBT.com.br
Silvio Santos na última edição do Teleton Imagem: Reprodução/SBT.com.br
Ricardo Feltrin

Ricardo Feltrin é colunista do UOL desde 2004. Trabalhou por 21 anos no Grupo Folha, como repórter, editor e secretário de Redação, entre outros cargos.

02/12/2016 08h44Atualizada em 02/12/2016 12h41

O SBT fechou novembro como vice-líder de audiência em todo o país. Foi o 12º mês consecutivo que a emissora de Silvio Santos derrotou a Record, ainda que nos décimos.

Na medição feita pelo Ibope nas 24 horas do dia, e nas 15 principais regiões metropolitanas do país (o chamado Painel Nacional de Televisão), a Globo encerrou o mês passado com líder isolada, com 12,9 pontos. Em seguida ficou o SBT com 5,5 pontos; a Record veio a seguir, com 5,3 pontos.

Na sequência, em quarto lugar, ficou a Band, com 1,4 ponto de média, seguida pela RedeTV!, com cerca de 0,5.

No PNT, cada ponto de audiência equivale a cerca de 240 mil domicílios, tendo cada um em média 3,3 habitantes.

Além de completar 12 meses consecutivos à frente da rival, o SBT já comemora o fato de que dificilmente perderá o 2º lugar isolado em 2016.

Isso porque na média de janeiro a novembro o SBT está na vice-liderança com quase meio ponto de vantagem sobre a emissora do bispo Edir Macedo: 5,53 x 5,05.

Matematicamente, para que a Record revertesse esse resultado, ela teria que, neste mês, obter uma impossível média de 11 pontos nas 24 horas do dia, com o SBT se mantendo na casa dos 5 pontos. Trata-se algo que pode ser considerado impossível.

O feito da emissora sediada no Complexo Anhanguera é bem considerável porque: 1) A Record investe muito mais que o SBT em programação produções próprias; 2) O SBT ainda está sofrendo com audiência instável em várias faixas horárias, como suas manhãs (das 6h às 8h) e na faixa da tarde (com o problemático “Fofocando”, por exemplo);

Se não tivesse esses problemas certamente a diferença a favor do SBT seria ainda maior.

@feltrinoficial
 

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Topo