Coluna

Ricardo Feltrin

"A Lei do Amor" entra em 2017 como um dos piores ibopes das 21h30

Maurício Fidalgo/Divulgação/TV Globo
Thiago Lacerda é Ciro em "A Lei do Amor", novela das 21h da Rede Globo Imagem: Maurício Fidalgo/Divulgação/TV Globo
Ricardo Feltrin

Ricardo Feltrin é colunista do UOL desde 2004. Trabalhou por 21 anos no Grupo Folha, como repórter, editor e secretário de Redação, entre outros cargos.

01/01/2017 06h30Atualizada em 02/01/2017 05h13

Dados de audiência de “A Lei do Amor” até o 62º capítulo mostram que a novela está entre os três piores índices de audiência da história da Globo no horário.

Com 25,7 pontos até agora na Grande São Paulo, principal mercado publicitário do país (onde cada ponto a partir de hoje vale por 70,5 mil domicílios), a trama escrita por Maria Adelaide Amaral e Vincent Villari está poucos décimos acima dos mesmos 62 capítulos de “A Regra do Jogo” (25,4 pontos) e de “Babilônia” (25,2 pontos).

A novela que sucedeu “Velho Chico” não tem agradado muito nem ao público e nem aos críticos, embora ainda lidere com folga a audiência nacional.

Inclusive foi  por causa da audiência instável que a história já sofreu várias mudanças.

Na faixa de “A Lei do Amor”, a Globo registra 37,1% de share. Ou seja, 37 em cada 100 TVs ligadas na região paulista sintoniza a novela.

A Record vem em segundo, com 11,9 pontos e 17,2% de share; e o SBT fica em terceiro, com 11,1 pontos e 16% de share.

No horário da novela da Globo, aliás, os canais pagos registram uma das audiências mais altas das 24 horas do dia: abocanham 14,9 pontos e 21,6% de share --mais que Record e SBT, portanto.

Essa faixa horária também é uma das que mais tem aparelhos de TVs ligados: 69%

E sua opinião, leitores? Para vocês quais são os defeitos (ou qualidades) da novela " A Lei do Amor", da Globo?

Deixem sua mensagens no sistema de comentários desta reportagem.

twitter - @feltrinoficial

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Topo