Coluna

Ricardo Feltrin

SBT fecha 2016 com a melhor audiência nacional dos últimos 10 anos

Lourival Ribeiro/Divulgação/SBT
Silvio Santos já pode festejar o bom resultado do SBT em audiência em 2016 Imagem: Lourival Ribeiro/Divulgação/SBT
Ricardo Feltrin

Ricardo Feltrin é colunista do UOL desde 2004. Trabalhou por 21 anos no Grupo Folha, como repórter, editor e secretário de Redação, entre outros cargos.

03/01/2017 19h13Atualizada em 03/01/2017 19h23

O SBT teve no ano passado seu melhor resultado em audiência desde 2006.

Na medição das 24 horas do dia em todo o país (Painel Nacional de Televisão), a emissora de Silvio Santos fechou 2016 como vice isolada, com média  de 5,48 pontos. Uma década antes, em 2006, o SBT obtivera apenas alguns décimos a mais (5,83 pontos).

Cada ponto no ibope equivale a 245,7 mil residências ou 688.2 mil telespectadores, segundo os índices atualizados da Kantar Ibope.

Foi o terceiro ano consecutivo em que o SBT ficou em segundo lugar no PNT --a medição feita nas 15 principais regiões metropolitanas do país.

A Record, com 5,05 pontos nas mesmas 24 horas do dia, acabou 2016 em terceiro.

A Globo não foi ameaçada em sua liderança: média folgada de 13,34 pontos. A Band ficou em quarto lugar com 1,5 ponto.

No horário nobre --o mais valioso--, a Globo marcou média de 24,6 pontos. O SBT veio em segundo, com 8,41 pontos --que, aliás, também foi sua melhor média desde 2005.

A Record veio a seguir com 8,37 pontos e a Band, com 2,59 (graças ao onipresente “Masterchef”).

MELHOR PERFORMANCE

Na comparação entre 2015 e 2016, o SBT foi a emissora que mais cresceu: 10% no PNT (24 horas do dia).

A Globo veio a seguir, com 8% de crescimento.

A Record ficou em terceiro no crescimento,  com 7,6%. E a Band estacionou na casa do 1,5 ponto.

Se o SBT venceu no PNT vale acrescentar que a Record fechou o ano como vice-líder em São Paulo, a principal praça econômica do país.

twitter - @feltrinoficial

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Topo