Coluna

Ricardo Feltrin

Após vitória judicial, SBT começa a investigar dados e metodologia do Ibope

Lourival Ribeiro/Divulgação/SBT
Silvio Santos finalmente saberá como o Ibope faz as medições de audiência das TVs Imagem: Lourival Ribeiro/Divulgação/SBT
Ricardo Feltrin

Ricardo Feltrin é colunista do UOL desde 2004. Trabalhou por 21 anos no Grupo Folha, como repórter, editor e secretário de Redação, entre outros cargos.

10/01/2017 13h36Atualizada em 10/01/2017 19h08

O SBT saiu vitorioso de uma batalha judicial que durou 15 anos e obteve o direito de ter acesso e de fazer uma perícia nos dados e na metodologia de mensuração de audiência realizada pela empresa Kantar Ibope.

O SBT decidiu iniciar já a perícia e já está apontando profissionais nas áreas de estatística, matemática e outras disciplinas para fazer um raio X dos métodos usados pelo Ibope. A coluna apurou que até um perito estrangeiro fará parte desse grupo.

A briga começou, na verdade, ainda na década de 80. Desde então a emissora já não tinha confiança plena nem nos números e nem na metodologia usada pelo Ibope (hoje chamada Kantar Ibope).

A ação judicial de fato, porém, começou em 2001, movida pelo SBT. Dois anos depois, a TV de Silvio Santos teve a primeira sentença favorável, mas o Ibope recorreu.

Para o instituto, a exposição de todos dados solicitados pelo SBT poderia colocar em risco a própria isenção da medição.

O SBT voltou à carga e, após muitas idas e vindas, em 2015 o STJ (Superior Tribunal de Justiça) confirmou a decisão favorável ao SBT.

Em maio do ano passado a emissora já poderia ter iniciado o processo de verificação, mas aguardou a virada do ano.

COMO SE MEDE?

O SBT agora vai exercer seu direito e poderá saber finalmente não só como o Ibope mede o público dos programas, mas onde e até quais são as cerca de 6.000 residências onde estão instaladas cerca de 10 mil famosas “caixinhas” que medem a audiência (uma mesma casa pode ter mais de um aparelho instalado).

Uma das grandes dúvidas (e queixas) do SBT, conforme o colunista Maurício Stycer informou recentemente, se refere a supostas discrepâncias entre os dados de audiência informados em tempo real (realtime) e o ibope consolidado.

O SBT alega que a correção entre o dado provisório e o consolidado quase sempre beneficia todas as demais emissoras --exceto o SBT.

No entanto, ouvido pela coluna, o Ibope afirmou categoricamente que só passou a divulgar os dados em tempo real por pressão das emissoras, e que não considera essa medição “oficial”.

OUTRO LADO

Procurado, o Ibope disse que todas as metodologias adotadas seguem padrões internacionais e negou que a "vitória" judicial do SBT vá alterar a rotina do instituto.

O Ibope informou ainda que, além de acesso a dados, o SBT também queria receber uma indenização por descumprimento contratural, mas que a Justiça negou o pedido da emissora.

Clique e veja a íntegra da nota da Kantar Ibope. 

@feltrinoficial

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Topo