Coluna

Ricardo Feltrin

Kantar Ibope: SBT queria indenização por quebra de contrato, mas perdeu

Lourival Ribeiro/SBT
Silvio Santos comprou uma briga de 15 anos com o Ibope por causa da medição de audiência Imagem: Lourival Ribeiro/SBT
Ricardo Feltrin

Ricardo Feltrin é colunista do UOL desde 2004. Trabalhou por 21 anos no Grupo Folha, como repórter, editor e secretário de Redação, entre outros cargos.

10/01/2017 16h31Atualizada em 10/01/2017 16h36

Por meio de sua assessoria, a Kantar Ibope declarou na tarde desta terça-feira que a decisão da Justiça que permitiu acesso de dados e a metodologia da empresa ao SBT, “na prática não implica em qualquer mudança na conduta já adotada” pela empresa.

Segundo o Ibope, além dos dados, o  SBT também pleiteava direito a uma indenização (de valor não revelado) por descumprimento contratual.

Segundo o instituto, o pedido de indenização foi recusado pela Justiça.

Veja abaixo a íntegra da nota da Kantar Ibope, a respeito da decisão do SBT em exigir ter acesso às informações sobre metodologia e medição de audiência de TVs:

“A Kantar Ibope Media esclarece que, em fevereiro de 2015, o STJ proferiu sentença definitiva em um processo movido em 2001 pelo SBT, no qual a emissora buscava uma indenização por descumprimento contratual.

O pedido foi rejeitado pela Justiça, que apenas determinou que a Kantar IBOPE Media divulgue ao SBT sua metodologia de medição de audiência de televisão, já de amplo conhecimento do mercado e principalmente dos clientes.

A decisão, na prática, não implica em qualquer mudança na conduta já adotada pela Kantar IBOPE Media.

A empresa reforça que seus processos metodológicos são validados pela Comissão ABAP-Redes e auditados anualmente pela EY, que segue padrões internacionais de qualidade na medição de audiência de televisão. Assinado: Kantar Ibope (via FSB Comunicação).” 

@feltrinoficial

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Topo