Coluna

Ricardo Feltrin

SporTV lidera ibope da TV paga em horário nobre pelo 8º ano seguido

Steven Senne/AP Photo
Renato Augusto em ação pela seleção brasileira na Copa América Imagem: Steven Senne/AP Photo
Ricardo Feltrin

Ricardo Feltrin é colunista do UOL desde 2004. Trabalhou por 21 anos no Grupo Folha, como repórter, editor e secretário de Redação, entre outros cargos.

15/01/2017 12h26

Na TV por assinatura, os canais infantis e de desenho são hegemônicos em quase todos os horários, exceto o mais valioso: o horário nobre.

Pelo oitavo ano consecutivo, o canal SporTV (Globosat) fechou como líder isolado de audiência na faixa mais importante da TV (18h-0h), segundo dados do Painel Nacional de Televisão.

Ao contrário de anos anteriores, a vitória dessa vez ocorreu diante de novos concorrentes estabelecidos, como os Fox Sports 1 e 2, o Esporte Interativo, além da tradicional rival ESPN.

No ano passado, na faixa nobre, o SporTV cresceu cerca de 25% na comparação com 2015. Na média mensal, obteve audiências que variaram de 0,6 a pouco mais de um ponto. Parece pouco, mas é muito relevante na TV aberta.

Apesar dos Jogos Olímpicos, o evento esportivo que teve mais público no SporTV, segundo a assessoria da Globosat, foi a Copa América: cerca de 6 milhões de assinantes.

Ou seja, mais ou menos 1 em cada 3 assinantes da TV paga no Brasil (18,8 milhões) assistiu em algum momento ao canal esportivo da Globosat durante a competição disputada nos EUA e vencida pelo Chile.

O SporTV e o Brasil, aliás, são exceções. Em quase toda a América Latina, os canais esportivos que lideram o ibope nos países são os veteranos ESPN e a Fox.

Só aqui, com o SporTV, e no Chile, com o CDN (Canal del Futbol), é que canais nacionais enfrentam de igual para igual os grupos estrangeiros.

Na média mensal de ibope, seja qual for o horário, salvo exceções, o SporTV é quase sempre o terceiro canal mais visto da TV por assinatura --atrás apenas de Discovery Kids e Cartoon Network.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Topo