Coluna

Ricardo Feltrin

"La Tierra Prometida" estreia na Argentina com recorde de audiência

Munir Chatack/Record
Sidney Sampaio como Josué em cena do primeiro capítulo de "A Terra Prometida" Imagem: Munir Chatack/Record
Ricardo Feltrin

Ricardo Feltrin é colunista do UOL desde 2004. Trabalhou por 21 anos no Grupo Folha, como repórter, editor e secretário de Redação, entre outros cargos.

Colunista do UOL

10/02/2017 11h38Atualizada em 10/02/2017 14h10

A novela “A Terra Prometida” estreou na última segunda-feira na TV portenha Telefe como líder de audiência.

Com 16 pontos de média, a estreia rendeu um ponto a mais do que “Os Dez Mandamentos” obteve em 29 de março do ano passado.

Na Argentina a novela da Record se chama “Josué Y La Tierra Prometida” e desde vem mantendo o posto de maior audiência da televisão aberta argentina.

Ela chega  a ter cinco pontos a mais que uma novela do  concorrente concorrente canal 13, “Quiero Vivir a Tu Lado”.

As duas emissoras disputavam a liderança de audiência no país ponto a ponto até o ano passado. Desde que a Telefe estreou as novelas bíblicas, no entanto, ela passou à frente e se tornou líder de audiência na média dia.

Vale dizer que a distância entre as maiores emissoras abertas da Argentina não reproduz o "fosso abissal" que existe no Brasil entre a Globo e suas concorrentes. Lá o mercado é muito mais equilibrado.

O sucesso de “Dez Mandamentos” foi tão grande que a Telefe chegou a exibir seus capítulos mais de uma vez por dia.  “La Tierra Prometida” está sendo reprisada às 14h. Também lidera o ibope.

A propósito, a emissora argentina Telefe foi vendida no final do ano passado para o Grupo Viacom (dono da MTV, por exemplo).

@feltrinoficial

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.title}}

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Topo