Coluna

Ricardo Feltrin

Ibope de canais pagos cresce 15% em 2016, mas já cai pelo 3º mês seguido

iStock
Mulher assistindo a TV no sofá - controle remoto televisão audiência Imagem: iStock
Ricardo Feltrin

Ricardo Feltrin é colunista do UOL desde 2004. Trabalhou por 21 anos no Grupo Folha, como repórter, editor e secretário de Redação, entre outros cargos.

Colunista do UOL

12/02/2017 08h03Atualizada em 12/02/2017 08h07

A despeito da força da TV aberta no país, a audiência dos canais pagos no país cresceu cerca de 15% em 2016, na comparação com 2015.

Em 2015 a média de ibope desses canais no Painel Nacional de Televisão, nas 24 horas do dia, foi de 7,1 pontos.

No ano passado essa média subiu para 8,2 pontos.

Cada ponto no PNT equivale a cerca de 245 mil domicílios sintonizados.

Apesar disso, os dados consolidados da Kantar Ibope mostram que nos últimos três meses (desde outubro) essa audiência está declinando.

Em outubro do ano passado ocorreu o recorde de ibope dos chamados OCP (Outros Canais Pagos) pela medição: naquele mês a média de audiência foi de 8,8 pontos.

Essa média caiu para 8,5 pontos em novembro, para 8,0 pontos em dezembro e, agora, 7,9 pontos em janeiro.

Apesar disso, os canais pagos (somados) ainda são a segunda maior audiência da TV no país, somente atrás da Globo (média de 13,4 pontos em 2016). A Record e o SBT estão ambas na casa dos 5 pontos de média (com leve vantagem para a TV de Silvio Santos).

E você, leitor, qual canal por assinatura você mais assiste? Poste sua opinião no sistema de comentários do UOL, logo abaixo.

@feltrinoficial

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Topo