Coluna

Ricardo Feltrin

Total de TVs ligadas no país em horário nobre cresce 7% e bate recorde

iStock
Consumo de TV aberta continua firme e forte no país, nas 24 horas do dia e em horário nobre Imagem: iStock
Ricardo Feltrin

Ricardo Feltrin é colunista do UOL desde 2004. Trabalhou por 21 anos no Grupo Folha, como repórter, editor e secretário de Redação, entre outros cargos.

Colunista do UOL

14/02/2017 16h14Atualizada em 15/02/2017 19h44

O ano passado foi o melhor de todos os tempos tanto para a televisão aberta como para a TV paga. Não em termos de faturamento, mas no total de aparelhos ligados no país. A verdade é que nunca a população consumiu tanta TV como nos últimos meses.

E tudo indica que 2017 deve ser ainda mais promissor para o setor, segundo dados da Kantar Ibope, que mede a audiência das TVs brasileiras.

 Nos 12 primeiros dias fevereiro, o total de TVs ligadas no país, nas 24 horas do dia,  já é 6% maior que o mesmo período no ano passado.

Em fevereiro de 2016 a média de TVs ligadas 24 horas por dia foi de 36%; já neste ano subiu dois pontos percentuais, para  38% (+6%)

Parece pouco, mas é preciso lembrar que a TV hoje enfrenta a concorrência pesada das chamadas outras “telas”: celular, tablet, laptops e de conteúdos sedutores como o Netflix.

Em horário nobre houve crescimento ainda mais relevante: de um índice de 56% de TVs ligadas em fevereiro do ano passado passou para 60% em 2017 (+7,14%).

No ano passado, o total de aparelhos de TV ligados já havia crescido 10% na comparação com o ano anterior. 

Motivo para a, digamos, resiliência das TVs abertas e fechadas: a crise econômica, que faz com que as pessoas saiam menos de casa e passem mais tempo diante de um lazer mais barato: a TV.  

@feltrinoficial

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Topo