Topo

Coluna

Ricardo Feltrin

Área comercial da Record decide se haverá ou não "A Fazenda" este ano

Thiago Duran/AgNews
Se houver A Fazenda 8, Roberto Justus será mantido no comando Imagem: Thiago Duran/AgNews
Ricardo Feltrin

Ricardo Feltrin é colunista do UOL desde 2004. Trabalhou por 21 anos no Grupo Folha, como repórter, editor e secretário de Redação, entre outros cargos.

Colunista do UOL

16/02/2017 16h54Atualizada em 16/02/2017 16h54

A Record ainda não decidiu se exibirá a nova edição do reality “A Fazenda” este ano, e o motivo é que quem tomará essa decisão será o seu departamento comercial.

Antes de anunciar a atração oficialmente, a emissora incumbiu sua área de vendas de obter ao menos seis cotas para marcas interessadas. O preço cheio de tabela para cada cota, segundo a coluna apurou, deverá ficar na casa dos R$ 70 milhões.

No entanto, ninguém paga esse valor, claro. Sempre há generosos descontos na tabela.

O problema para a direção da Record é que “A Fazenda” é um reality muito caro e que resulta em pouca rentabilidade.

Cenários, cachês, produção, aluguel de propriedades, tudo é tão caro que a emissora decidiu que só fará a nova edição se obtiver um lucro real.

O aviso interno é: se for para fazer um programa por meses para acabar no 0 x 0 (comercialmente) é melhor nem fazer, disse uma fonte da emissora  à coluna (sob anonimato).

O programa costuma registrar dois dígitos de audiência e ficar na vice-liderança. A edição passada, em 2015, sob comando de Roberto Justus, estreou com 13,7 pontos na Grande SP, mas foi perdendo fôlego até o final.

Procurada, a Record disse por meio de sua assessoria, que “ainda não há plano comercial para o reality”.

@feltrinoficial