Coluna

Ricardo Feltrin

Atualizada em 02.03.2017 08h26

Mexidas de Silvio no SBT não surtem efeito positivo no ibope. Ao contrário

Lourival Ribeiro/Divulgação/SBT
Silvio Santos não acertou a mão nas últimas mexidas na grade do SBT Imagem: Lourival Ribeiro/Divulgação/SBT
Ricardo Feltrin

Ricardo Feltrin é colunista do UOL desde 2004. Trabalhou por 21 anos no Grupo Folha, como repórter, editor e secretário de Redação, entre outros cargos.

Colunista do UOL

As mudanças repentinas e constantes de Silvio Santos na grade de programação do SBT nos últimos dois meses não estão causando efeito positivo na audiência. Pelo contrário.

Com as famosas mexidas do "patrão", o ibope ficou bem mais instável em janeiro e fevereiro, oscilou para baixo na média geral e acabou por levar o SBT de volta ao 3º lugar no ibope do país, segundo dados do Ibope em estudo exclusivo da coluna.

Na faixa matinal, por exemplo, as mudanças de apresentadores do “Primeiro Impacto” não surtiram (com trocadilho) impacto algum.

A média de fevereiro foi a mesma de janeiro: 4,0 pontos (cada ponto = cerca de 246 mil domicílios nas 15 maiores regiões metropolitanas do país).

Na faixa vespertina (12h às 18h), a emissora de Silvio também caiu de 6,5 (janeiro) para 6,1 (fevereiro).

O SBT também teve queda na mais valiosa faixa: o horário nobre. Dos 8,3 pontos obtidos em janeiro, o índice caiu para 7,8 em fevereiro. Nessa faixa a Record obteve 9,2 pontos --0,2 a mais que em janeiro, o que lhe deu a vice-liderança também.

Um dos motivos do bom desempenho da Record no horário nobre, além das novelas, é a boa performance do "Jornal da Record".

twitter: @feltrinoficial

Facebook: Ooops - Feltrino

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.title}}

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Topo