Coluna

Ricardo Feltrin

Atualizada em 06.03.2017 17h04

"Ribeirão do Tempo" volta e bate recorde na faixa de reprises da Record

Manuela Scarpa/Photo Rio News
Bianca Rinaldi está de volta à Record na reprise da novela "Ribeirão do Tempo" Imagem: Manuela Scarpa/Photo Rio News
Ricardo Feltrin

Ricardo Feltrin é colunista do UOL desde 2004. Trabalhou por 21 anos no Grupo Folha, como repórter, editor e secretário de Redação, entre outros cargos.

Colunista do UOL

A reprise de “Ribeirão do Tempo”, novela de Marcílio Moraes, começou nesta tarde na Record e rendeu respeitáveis 9 pontos de audiência na Grande São Paulo, segundo dados prévios (não consolidados) da Kantar Ibope.

É a melhor estreia dessa faixa de reprises desde julho de 2015, quando a emissora lançou essa faixa..

A antecessora, “Amor e Intrigas”, estreou em maio do ano passado com  6,8 pontos.

Antes disso, em 2015, veio “Prova de Amor” --que inaugurou o “vale a pena ver de novo” da Record. Essa reprise estreou com apenas 3,7 pontos.

Em sua primeira vez na TV, “Ribeirão do Tempo” estreou em maio de 2010 com 12 pontos de média em SP.

Hoje, cada ponto de audiência em SP equivale a cerca de 70,5 mil domicílios, tendo cada um em média 3,3 habitantes, segundo a Kantar Ibope.

O tema central da novela é o resort que a empresária Arminda (Bianca Rinaldi) quer construir na cidade cujo nome batiza a novela, e enfrenta a ira da população, que não aprova o negócio porque acha que o empreendimento acabará com a paz local. 

@feltrinoficial 

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.title}}

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Topo