Coluna

Ricardo Feltrin

Coreia do Sul compra filme "Os Dez Mandamentos"; veja pôster em coreano

Divulgação
Cartaz coreano do filme "Os Dez Mandamentos", que estreia em abril no país Imagem: Divulgação
Ricardo Feltrin

Ricardo Feltrin é colunista do UOL desde 2004. Trabalhou por 21 anos no Grupo Folha, como repórter, editor e secretário de Redação, entre outros cargos.

Colunista do UOL

15/03/2017 07h54Atualizada em 15/03/2017 09h32

Depois de países da América do Sul e da África, agora é a Coreia do Sul que comprou os direitos de exibição do longa-metragem “Os Dez Mandamentos”, produzido pela RecordTV e Paris Filmes.

O filme, montado a partir da novela homônima exibida em 2015 pela Record, já tem todo o material de divulgação pronto, inclusive pôsteres e trailler já traduzido (veja abaixo).

Chama a atenção a compra porque a Coreia do Sul, um país com cerca de 50 milhões de habitantes, é majoritariamente ateu ou pouco religioso.

Segundo o último Censo do país, cerca de 46,5% da população se declara “sem religião”. OS budistas vêm a seguir (22,8%); 18,3% se declaram evangélicos e apenas 10,9% são católicos.

A estreia do filme, com direção de Alexandre Avancini (escrito por Vivian de Oliveira) ocorrerá no próximo dia 13 de abril.

O longa “Os Dez Mandamentos” já havia sido vendido para Bolivia, Argentina, Uruguai e Angola, entre outros.

No Brasil vendeu cerca de 11 milhões de ingressos, mas a marca é contestada porque, apesar de ter sessões teoricamente lotadas,  muitas delas estavam com salas vazias. Ou seja, o filme até vendeu o ingresso, mas boa parte do público não comparareceu.

Assista ao trailer coreano de "Os Dez Mandamentos"

Twitter e Facebook: @feltrinoficial

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.title}}

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Topo