Coluna

Ricardo Feltrin

Net apaga registro e SBT, Record e RedeTV! deixam de existir para assinante

Reprodução/TV
Aviso da Net no dia do desligamento do sinal analógico Imagem: Reprodução/TV
Ricardo Feltrin

Ricardo Feltrin é colunista do UOL desde 2004. Trabalhou por 21 anos no Grupo Folha, como repórter, editor e secretário de Redação, entre outros cargos.

Colunista do UOL

04/04/2017 10h52Atualizada em 04/04/2017 17h35

Em mais uma ação na queda de braço com os canais da empresa Simba, a Net deletou ontem o registro de SBT, Record e RedeTV! do chamado line-up de canais.

Ou seja, para os milhões de assinantes da Net na Grande São Paulo essas três emissoras não “existem” mais. Pelo menos 16 milhões de telespectadores foram afetados pela disputa corporativa (entre assinantes regulares e com pontos ilegais).

Até domingo, quando o assinante colocava em uma das três emissoras, no sinal aparecia um aviso da Net informando que eles foram tirados do ar e que havia um processo de negociação.

Desde ontem, porém, até isso a operadora retirou do ar. Agora quando zapeia em sua TV o assinante Net passa da Cultura para a Globo, e em seguida para a Gazeta, depois Band.

Operadoras como Net (e Sky) estão em pé de guerra com a Simba, que representa os três canais abertos --que por sua vez exigem ser remunerados pela cessão de seu sinal HD.

As operadoras já remuneram Globo e Band, mas esses dois canais estão numa “cesta” com outros canais pagos vendidos às operadoras.

Já Record, SBT e RedeTV! nunca investiram em canais pagos, embora haja planos de lançar um em 2018. Mesmo assim querem receber pelo sinal HD.

As negociações começaram na casa dos mais de R$ 800 milhões (apresentador pela Simba), mas nos últimos dias evoluiu para uma negociação, aparentemente, mais sensata. Se por um lado inclui uma mordida nas receitas das operadoras, por outro lado a Simba oferece também um “pacote” de mídia às operadoras, como contrapartida.

Twitter, Face e Insta: @feltrinoficial 

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Topo