Coluna

Ricardo Feltrin

Âncora da Record Bahia desbanca Globo e tem maior ibope da rede no país

Reprodução
Âncora José Eduardo, o Bocão, apresentador do Balanço Geral Bahia Imagem: Reprodução
Ricardo Feltrin

Ricardo Feltrin é colunista do UOL desde 2004. Trabalhou por 21 anos no Grupo Folha, como repórter, editor e secretário de Redação, entre outros cargos.

Colunista do UOL

06/05/2017 12h12Atualizada em 06/05/2017 12h12

Nem novelas bíblicas, nem programas de auditório, nem blockbusters. A maior audiência da Record em todo o Brasil está ocorrendo em Salvador, e no horário vespertino: trata-se do “Balanço Geral” apresentador por José Eduardo, o popular Bocão.

Segundo dados consolidados da Kantar Ibope, o programa em versão baiana fechou abril com 16,6 pontos contra 14,3 da Globo (em Salvador cada ponto de ibope equivale a 14 mil domicílios).

Esse foi não só a maior média da história do “Balanço Geral” na Bahia, mas a maior de todas edições pelo país. Pela primeira vez um programa fica três horas consecutivas em primeiro lugar, deixando a Globo em segundo.

O que chama a atenção é que o “Balanço” na Bahia não tem o quadro “Hora da Venenosa”, responsável pelos picos de audiência em São Paulo e em boa parte das outras praças.

Bocão pega o horário com 3 pontos. Cerca de 40 minutos já começa a encostar a programação da Globo: depois vence o “Globo Esporte”, o “Jornal Hoje” e, por fim, o “Vídeo Show”. Venceu todos esses em abril. 

Na semana passada a média do “Balanço BA” subiu para 19,4 pontos, contra 13,6 pontos da Globo.

Está perto de 40% de share. Ou seja, quase 4 em cada  10 TVs ligadas na Grande Salvador sintonizadas.

Em São Paulo, antes do corte do sinal da Record nas operadoras de TV paga, o "Balanço Geral", com Reinaldo Gottino, incomodou bastante a Globo, que chegou a mudar o "Vídeo Show".

MUDANÇA DE ROTA

A trajetória de José Eduardo na Record é antiga e teve solavancos. Antes, admite, era um apresentador sensacionalista, que abusava do uso da violência. Ele confessa que não gosta de lembrar que foi citado em campanha contra a baixaria na TV.

“Eu estava cansado, o público estava cansado, porque a exibição de violência, acho, é algo que não tem muito futuro na TV aberta, não”, disse à coluna.

Hoje o “Balanço Geral” tem cerca de 50% de seu conteúdo voltado para cobrança de serviços públicos, como segurança, saneamento e também há matérias assistencialistas.

Ainda há polícia, mas bem menos, segundo ele.

“Como profissional precisei tomar uma decisão que pra mim foi clara: pra quem quer ser comunicador não adianta ter uma audiência de 30 pontos se for com esse tipo de conteúdo (violento). Eu tinha de mudar”, diz o jornalista de 47 anos.

@feltrinoficial

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Topo