Coluna

Ricardo Feltrin

Após 1ª semana tensa, Bial deixa ibope intacto, mas agrada direção da Globo

Ramón Vasconcelos/Globo
Pedro Bial no cenário de "Conversa com Bial" Imagem: Ramón Vasconcelos/Globo
Ricardo Feltrin

Ricardo Feltrin é colunista do UOL desde 2004. Trabalhou por 21 anos no Grupo Folha, como repórter, editor e secretário de Redação, entre outros cargos.

Colunista do UOL

07/05/2017 09h33Atualizada em 07/05/2017 09h36

Em sua primeira semana na TV aberta, o “Conversa com Bial” não mexeu na audiência da Globo --nem para mais e nem para menos.

Desde a estreia a nova atração noturna da Globo tem ficado em cerca de 7 pontos de média em SP, principal mercado publicitário do país,  segundo dados consolidados da Kantar Ibope. Cada ponto é igual a 70,5 mil domicílios na Grande SP.

Sete pontos é exatamente a média que o horário vinha registrando antes de Bial com outras atrações. Mas há uma grande diferença: Bial já tem fila de anunciantes para todos os breaks e valorizou muito o horário.

Segundo esta coluna apurou, a direção da Globo está bem satisfeita com a performance do jornalista. Afinal, nesse ingrato horário --início da madrugada, em que o total de TVs ligadas começa a cair bastante-- a audiência já está em seu limite.

Coincidentemente, “Conversa com Bial” tem obtido aproximadamente a mesma média que o matinal “Encontro com Fátima Bernardes”.

Um dos problemas (extras) que Bial está superando é o fato de, em cada dia da semana, o programa começar num horário diferente. Em um dia ele pode começar à 0h15 e em outro à 1h25. Então os sete pontos são mesmo uma vitória.

Quem vê Bial com semblante sorridente diante das câmeras, porém, não faz ideia do nível de tensão que vem ocorrendo nos bastidores.

A equipe tem se descabelado para que nada dê errado e na obtenção de temas e pautas exclusivas. Mas é do jogo.

Tensas também estão produções de programas de outras emissoras, que perderam profissionais nas últimas semanas para a nova atração da Globo.

@feltrinoficial

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Topo