Topo

Coluna

Ricardo Feltrin

SBT anuncia compra de conteúdo "caseiro", mas só vale para linha de shows

Lourival Ribeiro/SBT
Silvio Santos quer comprar conteúdo de telespectadores e oferece R$ 3.000; mas não é tão fácil assim Imagem: Lourival Ribeiro/SBT
Ricardo Feltrin

Ricardo Feltrin é colunista do UOL desde 2004. Trabalhou por 21 anos no Grupo Folha, como repórter, editor e secretário de Redação, entre outros cargos.

Colunista do UOL

11/05/2017 12h39Atualizada em 11/05/2017 12h39

A coluna descobriu a finalidade dos anúncios que o SBT vem fazendo em sua programação e na internet, convidando “produtores caseiros” a enviar conteúdo sobre artistas. A emissora oferece a chance de o produtor ganhar R$ 3.000 por hora de conteúdo.

O que a emissora deseja é que telespectadores enviem ideias ou conteúdo para serem usados em sua linha de shows, especialmente Celso Portioli, Eliana e Ratinho. Ou seja, material enviado não vale, a princípio, para a área de jornalismo.

O objetivo é incrementar as pautas desses três programas. No caso dos dois primeiros, porque não estão indo nada bem em audiência. No caso do último --Ratinho é vice-líder isolado--, para atrair apenas vídeos (conteúdo) engraçados.

Embora a emissora não se pronuncie sobre o assunto, já se sabe que ganhar os R$ 3.000 não é tão fácil como o anúncio do SBT faz crer.

Antes de mais nada é preciso ter um lide forte (um título, uma descoberta, um viés inédito) sobre os personagens que o SBT se interessa (como Hebe, Edir Macedo, Pelé, Luciano Huck etc).

Depois é preciso enviar ao menos uma hora de material sobre o “escolhido” (imaginem então quantas horas o produtor caseiro terá de juntar, e de informações relevantes, para completar uma hora de material ofertável).

Por fim, é preciso que o material seja escolhido pela emissora, e isso é o mais difícil.

Segundo a coluna apurou, Silvio Santos está insatisfeito com o baixo ibope de programas como o “Domingo Legal”, de Portioli. Eliana também está sendo monitorada pelo mesmo motivo.

MAAAAS…

No ano passado o SBT já havia se disposto a pagar R$ 10 mil por reportagens obtidas pelos telespectadores.

Como forma de teste, usando outro nome e mail, esta coluna enviou uma sugestão. Não houve nenhum contato.

Procurado, o SBT informou que não pode revelar --por questões estratégicas-- quantos vídeos foram ou estão sendo enviados. Foi a mesma resposta que já havia dado esta semana ao colunista Maurício Stycer, do UOL.
 

@feltrinoficial

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!