Coluna

Ricardo Feltrin

Em 7 anos, tempo que pessoas consomem TV paga no Brasil cresce 50%

iStock
Hoje os assinantes passam quase 3h30 por dia diante do conteúdo da TV paga Imagem: iStock
Ricardo Feltrin

Ricardo Feltrin é colunista do UOL desde 2004. Trabalhou por 21 anos no Grupo Folha, como repórter, editor e secretário de Redação, entre outros cargos.

Colunista do UOL

06/06/2017 15h24Atualizada em 06/06/2017 18h49

Foram divulgados nesta terça-feira dados da Mídia Fatos sobre a TV por assinatura no Brasil. Os números são apurados pela Kantar Ibope, Anatel e a empresa SNL Kagan, entre outros. Os dados são divulgados pela ABTA (Associação Brasileira das TVs por Assinatura) e são voltados para o mercado publicitário 

Entre os dados mais relevantes divulgados estão:

Atualmente são cerca de 18,8 milhões de domicílios com TV paga no no país, e o número de pessoas com acesso a ela praticamente dobrou em sete anos.

Hoje são 56,4 milhões de pessoas --ou cerca de 27% da população brasileira.

Em 2010, o tempo que o telespectador passava diante da TV por assinatura era em média  2 horas e 23 minutos.

Em 2016 foi de 3h16. Este ano já está em 3h19. Um crescimento de audiência em torno de 50% em sete anos.

Apesar dos números positivos, é bom lembrar que três anos atrás a TV por assinatura no Brasil tinha praticamente 20 milhões de assinantes.

O setor também foi afetado pela crise econômica, desemprego (cancelamento de assinaturas), além da expansão do streaming. Sem falar na internet.

Para ver todos os resultados acesse: www.midiafatos.com.br

@feltrinoficial

site Ooops

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Topo