Coluna

Ricardo Feltrin

Thunderbird vira youtuber, lança autobiografia e conta sobre os anos Globo

Leandro Moraes/UOL
O músico e VJ Luiz Thunderbird estreou 3 semanas atrás como youtuber e lança autobiografia em 2018 Imagem: Leandro Moraes/UOL
Ricardo Feltrin

Ricardo Feltrin é colunista do UOL desde 2004. Trabalhou por 21 anos no Grupo Folha, como repórter, editor e secretário de Redação, entre outros cargos.

Colunista do UOL

07/09/2017 12h18Atualizada em 07/09/2017 12h18

Luiz Thunderbird trocou de papel. De pioneiro e co-fundador da MTV em 1990 (com o “Lado B”), ele agora é um novato youtuber.

Provocativamente, seu canal também começa com as iniciais MTV: é o “Music Thunder  Vision”. “É apenas coincidência de abreviatura”, brinca o apresentador, músico e compositor de 56 anos.

Apesar de afastado da grande mídia há 3 anos --desde que apresentou as "cabeças" e adaptou (à música) o lendário “Caçadores de Mitos”, na TV Cultura--, o ariano Thunder (ou Luiz Fernando Duarte no RG) nunca está parado. Nem mental nem profissionalmente.

Há 30 anos comanda a banda Devotos de Nossa Senhora Aparecida, com quem já gravou 5 CDs, fora uma infinidade de participações em CDs de outras bandas. Com a DNSA, faz shows pelo país praticamente todos os meses.

Também há três anos tem um podcast semanal na Central 3 (central3.com.br) onde entrevista músicos, jornalistas, atores e outras personalidades nacionais.

Além do canal no YT, Thunder está finalizando sua autobiografia, que vai remexer em seu passado cheio de conquistas, muita bagunça e alguns excessos.

O livro pretende trazer um raio X em um momento chave em sua carreira: apenas 4 anos depois de estrear na tela, o grandalhão de 1m86 trocava a MTV pela maior emissora do país, a Globo.

Lá, chegou a comandar uma atração musical nos domingos à tarde e dirigida por Boninho: o "TV Zona"..

Foi o segundo VJ da MTV a migrar para a Globo (a primeira foi Maria Paula), num percurso que seria seguido ainda por muitos outros nos anos/décadas seguintes.

O livro vai sair no início de  2018, escrito em parceria com o jornalista e blogueiro do UOL Esporte Mauro Beting.

Veja trechos da entrevista exclusiva à coluna.

Depois de quase 30 anos como VJ e apresentador, você decidiu criar o próprio canal no You Tube. Por quê?

Luiz Thunderbird - Não é minha primeira experiência na internet. Em 2009 eu fazia o programa "Thunderview" num site chamado Showlivre. Foram dois anos de trabalho, inúmeras entrevistas, que estão disponíveis até hoje na rede.

Trabalhei em 4 emissoras de TV (MTV, Globo, RedeTV! e Cultura). Resolvi que era hora de ter o meu próprio canal. Liberdade editorial é fundamental. A internet é muito bacana.

Tenho um podcast na Central 3 ( central3.com.br ), o Thunder Radio Show, que vai ao ar às terças-feiras, às 21 horas, ao vivo. Mas o lance do podcast é que o ouvinte não precisa ficar de prontidão pra assistir meu programa. Ele assiste quando puder, onde quiser, na hora que quiser. No Youtube é a mesma coisa. Isso facilita pra audiência.

Me diga... Com tanto nome para escolher, por que logo MTV (Music Thunder Vision)?

Luiz Thunderbird - Trata-se da minha visão da música, onde conto o pouco que sei do assunto, conto histórias que vivi, presenciei, abordo o tema com a minha ótica, portanto Music Thunder Vision.

Você não teme nenhum processo, queixa ou notificação da MTV?

Luiz Thunderbird - Claro que não! Na verdade, estou fazendo algo que sempre fiz na MTV. Acho mais fácil a MTV se sentir homenageada. Afinal de contas, é apenas uma coincidência de abreviatura. Hehe...

Qual o objetivo do novo canal?

Luiz Thunderbird - Falar de música, pra mim, é importante. E fica evidente que, pra muita gente, isso estava fazendo falta. Pelos comentários que recebo, as pessoas estão gostando do assunto. Eu estou adorando!

Notei que você tem feito alguns vídeos meio longos para os padrões da internet. Você está ciente que, segundo pesquisas, a atenção de um internauta é bem menor que a de um telespectador?

Os programas têm uma variedade quanto a duração. Tem programa até de 19 minutos e meio. Quando o tema exige, não me preocupo se estou passando do limite sugerido por pesquisas. O internauta interessado, vai até o fim do vídeo. Acho importante quebrar esse paradigma no Youtube.

Voltemos ao passado. Em 94 você saiu de uma TV então musical e alternativa (MTV) para a maior emissora do país, a Globo, e ainda por cima no dia mais importante da semana: o domingo. Acha que algo deu errado?

Fiz um pouco de tudo na Globo. Hollywood Rock (com audiência absurda), Carnaval da Globo (idem), um quadro no “Fantástico” e o TV Zona, onde eu apresentava vários artistas musicais tocando ao vivo.

Isso era uma novidade em 1994, mas hoje é comum até na Globo. Pra mim, o TV Zona foi uma conquista, apesar da pouca duração no ar.

Dia desses, estava falando com o Boninho sobre isso. Ele foi enfático ao dizer que o TV Zona era muito bom e muito à frente de sua época. Isso, pra mim, foi o suficiente. Portanto, não deu errado. Eu consegui apresentar um programa de música de verdade na maior emissora do país. Mas, voltemos ao presente!

Se pudesse voltar no tempo, o que você teria feito de diferente nesses tempos de Globo?

Luiz Thunderbird - O perigo de voltar no tempo é o feitiço do tempo. Já viu o filme? Já imaginou se tivéssemos essa chance? Estou escrevendo minha biografia, lembrando de todas aquelas passagens. Ali, eu conto como foi.

Agora tenho prazo pra entregar o livro, já que assinei contrato com uma grande editora. Tenho trabalhado cotidianamente nesse livro. Lembrar das coisas me ajuda a entender porque as coisas aconteceram de um jeito ou de outro.

A melhor imagem pra isso veio graças ao Caetano Veloso, que cantou "Navegar é preciso, viver não é preciso". Eu posso ser um tremendo capitão, mas a tempestade ou a calmaria eu não controlo. "Não sou eu quem me navega, quem me navega é o mar". Obrigado, Paulinho da Viola.

Você acha que a TV aberta ainda tem espaço para um cara como você? O que você poderia fazer na TV atual?

Luiz Thunderbird - Já fiz de tudo na TV. Tudo! Posso fazer qualquer coisa na TV. Mas qualquer coisa pra mim não serve. Faço o que for, desde que isso me dê satisfação. Estou trabalhando num novo projeto com o cartunista e roteirista Caco Galhardo e a atriz e diretora Fernanda D'Umbra. Vocês não perdem por esperar!

Não teme ser chamado de "vovô Thunder" pelos youtubers?

Não, os youtubers me tratam com muito mais respeito que alguns repórteres. Inclusive repórteres que têm a minha idade. Hahahahahaha... 

Se você pensar bem, eu sou um Baby Youtuber. Comecei 3 semanas atrás. Meu padrinho é o PC Siqueira (que está na edição 2 do Music Thunder Vision). Vovô é ele. Um vovô adorável, por sinal! (nota da coluna: PC Siqueira tem só 31 anos).

Leia também

Ex-diretor da Record move e perde ação de R$ 19 milhões para emissora

Patrícia no domingo, Portiolli no sábado: SBT estuda mudanças em 2018

Colunista no Twitter, no Facebook ou no site Ooops!

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
Topo