Topo

Coluna

Ricardo Feltrin

Após cirurgia, pianista ganha parte da visão e estreia como maestro em SP

Divulgação
Pianista e agora maestro Marcelo Bratke Imagem: Divulgação
Ricardo Feltrin

Ricardo Feltrin é colunista do UOL desde 2004. Trabalhou por 21 anos no Grupo Folha, como repórter, editor e secretário de Redação, entre outros cargos.

Colunista do UOL

22/05/2018 07h02

57 anos atrás nascia Marcelo Bratke, que veio ao mundo com um grave problema congênito.  Era praticamente cego. Tinha menos de 7% de visão em um olho, e 2% no outro.

Cerca de três anos atrás ele se submeteu a uma complicada cirurgia e recuperou 95% da capacidade de um olho. O outro, porém, está praticamente perdido.

Estimulado por celebridades da música clássica, Bratke estreará como maestro no Municipal, regendo a Bachiana Filarmônica Sesi.

O novo passo do pianista que venceu a cegueira ocorre nesta nesta terça-feira, 20h.

Bratke e Martins (regente titular) se apresentarão juntos. Além da música clássica, outro fato que os une é que ambos têm uma história de superação física.

Martins virou maestro depois de décadas enfrentando problemas físicos que o impediram de continuar como concertista.

Se Bratke só tem praticamente um olho, Martins só tem praticamente uma mão (a esquerda)

O maestro estreante é um pianista virtuoso, famoso internacionalmente, mas só se tornou conhecido do grande público brasileiro cerca de 11 anos atrás, quando fez uma parceria e uma pequena turnê com a cantora Sandy.

Na noite desta terça, o homenageado da Bachiana, na verdade, será Mozart.

Serão três obras do compositor austríaco (1756-1791): a Sinfonia nº 40 em Sol Menor; o concerto para Piano em Sol Maior; e a última parte, o concerto para Piano nº 21, trecho andante, em que Bratke regerá Martins ao piano.

Veja abaixo trechos da entrevista com Marcelo Bratke:

A cirurgia que você se submeteu… ela deu certo? Sua visão voltou?

Marcelo Bratke - Deu certo, graças a Deus. Só não digo que a minha visão voltou porque eu nunca a tive. Eu nasci com um problema muito sério, uma catarata congênita, e também desenvolvi uma ambliopia, que é uma atrofia no nervo óptico. Sem falar no astigmatismo (risos)

Mas que porcentagem você tem de visão hoje?

Bratke - É tudo meio que estimativa, mas hoje tenho 95% em um olho e menos de 10% no outro. Antes eu tinha 7% e 2%.

Poxa, então tá ótimo…

Bratke - Tá, sim. Eu só tinha um olho possível de resolver… o outro não vai sair desses 10%... Mas isso é só uma estimativa porque nesse olho eu não tenho nem sequer foco central, é tudo periférico… difícil explicar…

O que deu em você, um pianista já famoso, em querer estudar regência depois de tanto tempo?

Bratke - Eu fundei 10 anos atrás a Camerata Brasil, e eu tento reger os músicos do piano....

Ah, como o maestro e pianista Daniel Barenboim em alguns concertos…

Bratke - Exatamente. E aí eu resolvi me dedicar seriamente à regência e fui ter aulas com o grande maestro italiano Aldo Ceccato (84 anos), um dos maiores do mundo.

Depois tive mais aulas aqui no Brasil com o Júlio Medaglia; o maestro João Carlos também me ajudou. E agora eu vou regê-lo.

E por que só Mozart no concerto de estreia?

Bratke - Bom, o maestro João Carlos vai me reger  num concerto (nº 17), eu no piano. E depois no final eu vou regê-lo no segundo movimento do concerto nº 21 em dó maior. Ele toca com a mão esquerda e com praticamente só um dedo da mão direita.

Mas ele tira um som maravilhoso. Mesmo com essa limitação o João Carlos tem uma sonoridade incrível, espantosa.

Aliás, quando comecei a estudar piano, ainda criança, eu fiquei louco quando o ouvi tocar um prelúdio de Chopin.

Como eu era cego, comecei a tocar de ouvido. Já estava havia uns 15 dias tentando tirar a música e um dia me aparece o João Carlos, senta no piano e toca Bach. Aí eu pirei e decidi: é isso que eu quero ser na vida, pianista.

O quê: Concerto Bachiana Filarmônica Sesi
Quem: Com João Carlos Martins e Marcelo Bratke
Onde: Theatro Municipal de SP
Quando: Hoje, 22 de maio, 20h

Colunista no Twitter, no Facebook ou no site Ooops

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!