Topo

Coluna

Ricardo Feltrin

Greve de caminhoneiros já afeta grade de emissoras como a TV Aparecida

Divulgação/TV Aparecida
Kleber Oliveira, apresentador do dominical "Terra da Padroeira", da TV Aparecida Imagem: Divulgação/TV Aparecida
Ricardo Feltrin

Ricardo Feltrin é colunista do UOL desde 2004. Trabalhou por 21 anos no Grupo Folha, como repórter, editor e secretário de Redação, entre outros cargos.

Colunista do UOL

25/05/2018 00h18Atualizada em 25/05/2018 11h01

Apesar de o governo ter anunciado um "acordo" ontem à noite, a greve dos caminhoneiros prossegue em boa parte do país e já afeta a praticamente todas as esferas da sociedade. Inclusive emissoras de TV.

Um dos casos mais urgentes está ocorrendo na TV Aparecida, localizada na cidade de Aparecida, interior de São Paulo.

Se agreve não terminar, programas ao vivo da emissora, como o “Kombina” (aos sábados, com aulas e dicas de artesanato) e o “Terra da Padroeira (domingos pela manhã), deverão exibir reprises esta semana.

Isso porque a emissora não está conseguindo combustível para transportar convidados, nem plateia.

Os apresentadores da casa (a maioria mora em São Paulo ou outras cidades distantes) também não está conseguindo abastecer os carros para fazer as viagens.

Segundo a TV Aparecida, se a greve prosseguir toda a grade ao vivo da emissora ficará inviabilizada já na próxima semana.

O SBT também está sendo afetado, mas ainda não na programação.

Localizado às margens da rodovia Anhanguera, muitos funcionários têm chegado atrasado desde o início da greve, pois tem passado horas em filas em postos de combustíveis.

A Record informou que até o momento não teve prejuízo com a greve.

No entanto, sabe-se que, se ela se estender, Record e SBT terão problemas para juntar plateia para programas de auditório, como “Hora do Faro”, “Eliana” e até o “Programa Silvio Santos”.

Colunista no Twitter, no Facebook ou no site Ooops

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!