Topo

Coluna

Ricardo Feltrin

Público do "Programa do Porchat", da Record, cresce mais de 30% no ano

Antonio Chahestian/Record TV
Fabio Porchat entrevista o modelo Paulo Zulu, na Record (maio) Imagem: Antonio Chahestian/Record TV
Ricardo Feltrin

Ricardo Feltrin é colunista do UOL desde 2004. Trabalhou por 21 anos no Grupo Folha, como repórter, editor e secretário de Redação, entre outros cargos.

Colunista do UOL

23/06/2018 06h48

Exibido no início das madrugadas de segunda a quinta-feira, na Record, o “Programa do Porchat” tem sua audiência em ascensão em 2018.

Desde março, quando retornou das férias do ano passado, a participação da atração de Porchat no universo de TVs ligadas (o chamado share) na Grande São Paulo já cresceu  31%.

Em pontos, a subida foi ainda maior: 40%

Em pontos, em março, Porchat obteve média de 3,2. Até o momento, este mês, essa audiência já está em 4,4 pontos, segundo dados consolidados da Kantar Ibope Media.

Cada ponto em SP equivale a cerca de 72 mil domicílios sintonizados.

Três meses atrás o share da produção foi de 9,4%. Em junho já está em 12,4% (12 em cada 100 TVs ligadas na região).

Na última quarta, Porchat registrou seu recorde este ano.

Com a participação do grupo Fat Family ele obteve 6 pontos de média e share de 17% (ou seja, 17 em cada 100 aparelhos de TV ligados em SP sintonizavam o programa).

Segundo o ibope, cerca de um terço do público paulista (principal mercado publicitário) é formado pelas classes AB; 28%, da classe C

54% dos telespectadores estão na faixa entre 18 e 49 anos.

Porchat ainda tem um público majoritariamente masculino (69%).

Desde que estreou na grade da Record em 2016, porém, a atração segue em terceiro lugar em audiência, atrás de Globo e SBT (não necessariamente nessa ordem). Mas, como mostram os dados acima, está em ascensão.

Colunista no Twitter, no Facebook ou no site Ooops