Topo

Coluna

Ricardo Feltrin

Veja o perfil de quem assiste a novelas da Globo, SBT e Record

false
Cena de "As Aventuras de Poliana"
Ricardo Feltrin

Ricardo Feltrin é colunista do UOL desde 2004. Trabalhou por 21 anos no Grupo Folha, como repórter, editor e secretário de Redação, entre outros cargos.

Colunista do UOL

25/08/2018 13h14

Qual a novela mais vista por homens? E qual atrai mais mulheres? E quanto às faixas etárias?

Foi pensando em achar essas respostas que a coluna encomendou --junto a uma fonte com acesso aos dados do ibope-- um estudo baseado em dados consolidados da Kantar Ibope Media para saber o perfil de quem vê as atuais novelas em cartaz na TV aberta.

Vamos começar por “Segundo Sol”, da Globo.

62% do público da novela de João Emanuel Carneiro são mulheres (38% homens).

27% do público está na faixa etária entre 35 e 49 anos; 18% tem de 50 a 59 anos, e 24% tem 60 anos ou mais.

Do público de “Segundo Sol”, 33% são das classes AB; 30% da classe C1, e 26% da classe C2; 12% pertencem às classes D e E.

Já novela “Jesus”, da Record, tem um público de 43% de homens e 57% de mulheres.

É um perfil mais idoso que a novela da Globo: 25% têm idade entre 35 a 49 anos; 25%, 60 anos ou mais; 19% tem de 50 a 59 anos.

Na novela bíblica, 32% pertencem à classe AB; 24% são da chamada classe C1; 30% da classe C2 e 14% da classe DE.

Curiosamente, a novela-série mais vista por homens na Record hoje na TV é “Rei Davi”: 47% do público é masculino.

Agora vamos à “As Aventuras de Poliana”, do SBT.

66% do público é de mulheres (e meninas); 34% é plateia masculina..

Por faixa etária, 17% de quem vê a novela de Íris Abravanel tem de 4 a 11 anos 12% tem de 12 a 17 anos; 8%, de 18 a 24 anos; 14% vai de 25 a 34 anos; 21% de 25 a 49 anos; 11% tem de 50 a 59 anos; e 16% tem 60 anos ou mais.

19% de quem vê “Poliana” são das classes AB; 26% são classe C1; 35% --o maior público--, da classe C2; e 20% da classe D e E.

Mais uma curiosidade sobre as novelas mexicanas do SBT. São as obras com o maior público feminino entre todas da TV brasileira.

“Que Pobres Tão Ricos”, do SBT, por exemplo, tem 70% de plateia feminina.

A maioria do público se divide entre 50 e 59 anos (22%)  e com 60 anos ou mais (22%). É a novela menos assistida pelas classes AB (14%).

O público básico é formado majoritariamente pelas classes C1 (28%) C2 (34%) e DE (24%).

Siga o colunista no Twitter, no Facebook ou no site Ooops

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!