Topo

Coluna

Ricardo Feltrin

Horário eleitoral se beneficiará com maior nº de TVs ligadas da história

José Cruz/Agência Brasil
A ministra Rosa Weber preside o Tribunal Superior Eleitoral até 2020 Imagem: José Cruz/Agência Brasil
Ricardo Feltrin

Ricardo Feltrin é colunista do UOL desde 2004. Trabalhou por 21 anos no Grupo Folha, como repórter, editor e secretário de Redação, entre outros cargos.

Colunista do UOL

29/08/2018 12h24

Os candidatos às eleições de 2018 não têm do que reclamar: o horário eleitoral político e obrigatório, que começa na sexta, terá o maior número total de TVs ligadas o país em todos os tempos.

Nas eleições de 2010, nas 24 horas do dia, havia 34,2% de TVs ligadas nas 15 maiores regiões metropolitanas do país, segundo dados consolidados do Ibope.

Em 2014, esse índice oscilou negativamente, para 33,8%.

Já em 2018, de janeiro a julho, segundo dados da Kantar Ibope Media consolidados são 38,3% de aparelhos ligados nas 24 horas do dia, o maior índice de todos os tempos.

São vários os motivos para isso: 1) a crise econômica tem feito cada vez mais desempregados e eles passam mais tempo em casa vendo TV; 2) a TV digital já chegou a mais de 110 milhões de brasileiros também.

Na contramão, em eleições passadas a TV por assinatura vivia um “boom” de assinaturas (ao menos até 2014) e esse era um público que “fugia” da propaganda eleitoral. Não mais. Desde 2014 a TV paga perdeu quase 2 milhões de assinantes que certamente voltaram para a TV aberta.

Então, por mais que as redes sociais tenham alguma importância elas não se comparam à TV aberta, que certamente, sim, vai influenciar o eleitorado.

A propósito, vote consciente.

Siga o colunista no Twitter, no Facebook ou no site Ooops