Topo

Coluna

Ricardo Feltrin


No Brasil, Netflix fatura R$ 1,4 bi, tem 50 funcionários e nenhum chefe

Netflix - Canaltech
Netflix Imagem: Canaltech
Ricardo Feltrin

Ricardo Feltrin é colunista do UOL desde 2004. Trabalhou por 21 anos no Grupo Folha, como repórter, editor e secretário de Redação, entre outros cargos.

Colunista do UOL

26/12/2018 10h26

Serviço pago por cerca de 8 milhões de brasileiros, perfil simpático e queridinho dos internautas nas redes sociais, a Netflix ainda é uma empresa pouco transparente no Brasil e em outros países que não os EUA --onde tem capital aberto.

Nas últimas semanas a coluna procurou apurar algumas informações "sigilosas" do maior serviço de streaming do mundo. Para isso ouviu sob sigilo funcionários e prestadores de serviço da empresa. Vamos aos (poucos) dados obtidos:

A Netflix não tem sede física no Brasil e nem praticamente nenhum outro país do mundo, exceto os EUA e algumas localidades na Europa; há um escritório em Alphaville, com uma assessoria, mas não chega a ser uma sede.

A empresa tem cerca de 50 funcionários "registrados" no Brasil: 50 profissionais de diversas áreas, como advogados (especializados em direitos autorais), publicitários, executivos e alguns negociadores de conteúdo com terceiros

Apesar de ter 50 funcionários, a Netflix não tem nenhum chefe, gerente ou diretor. Fora dos EUA a empresa opta por um sistema de "gestão" horizontal e descentralizada. Se a empresa tiver algum problema no Brasil ou em outro país é preciso entrar em contato com a chefia nos EUA;

A Netflix vai terminar 2018 com mais de 8 milhões de assinantes no Brasil, o que representa cerca de 6% de sua base de assinantes no mundo. Isso significa --numa estimativa conservadora-- mais de R$ 1,4 bilhão de faturamento por ano no país.

Isso é quase 50% a mais do faturamento de um SBT, por exemplo.

Comparativamente o serviço de streaming já se aproxima do público da maior operadora de TV paga, a Net Claro, que tem 8,7 milhões de assinantes. Já passou há tempos a Sky (5,4 milhões).

O simpático, engraçadinho, sarcástico e "paparicado" perfil da Netflix no Twitter não é uma criação brasileira.

Assim como a Coca-Cola desenvolve propagandas "cosmopolitas" que acabam utilizadas em todos os países (como a "torcida" da empresa pela seleção na Copa), o perfil da Netflix em redes sociais em outros países também é "palhaço".

A diferença é que o perfil da empresa avalia com cuidado a "personalidade" dos usuários do Twitter de cada país, antes de adquirir sua própria personalidade.

Há cerca de 65 mil itens no inventário da Netflix no Brasil: filmes, documentários, capítulos de seriados, especiais, shows etc.

Colunista Ricardo Feltrin no TwitterFacebook e site Ooops