Topo

Coluna

Ricardo Feltrin


Incerteza sobre grade 2019 causa tensão em produções da Globo

Reprodução/Globo
Fátima Bernardes já é tida como um "coringa" que poderia elevar o ibope das tardes da Globo Imagem: Reprodução/Globo
Ricardo Feltrin

Ricardo Feltrin é colunista do UOL desde 2004. Trabalhou por 21 anos no Grupo Folha, como repórter, editor e secretário de Redação, entre outros cargos.

Colunista do UOL

01/01/2019 12h06

A falta de informações oficiais e o excesso de rumores internos e externos sobre possíveis mudanças na grade de programação estão deixando artistas e funcionários da Globo com nervos à flor da pele.

A única certeza é que haverá alguma mudança na programação matinal e vespertina. Só não se sabe exatamente o quê.

Embora não seja o fim do mundo --e nem sequer de sua hegemonia no ibope nacional--, a Globo enfrenta um problema crônico em algumas faixas horárias, nas quais vem perdendo público e terreno para a concorrência.

O calcanhar de Aquiles da emissora atualmente é o período vespertino --e também o mais cercado de rumores. A Globo vem perdendo com frequência para o "Balanço Geral" e seu quadro "A Hora da Venenosa", da Record

Uma forma de combater isso, entre outras possibilidades, fala-se em uma mudança radical (embora pouco provável): o "Encontro com Fátima" seria trasnferido para as tardes, com a redução do "Vídeo Show" e o fim da "Sessão da Tarde". 

Nesse caso Fernanda Gentil passaria a ocupar um espaço matinal, com uma nova atração que misturaria entretenimento e jornalismo, conforme esta coluna publicou no último dia 29.

Leia mais

Programa de Gentil pode ser matinal e pode "engolir" o "Bem-Estar"

Novela "Espelho da Vida" tem pior ibope às 18h desde 2015

Outra possibilidade é Gentil  passar a ocupar parte das tardes com o novo programa, entrando no ar logo após o "Vídeo Show". 

Nesse caso a emissora poderia acabar com a "Sessão da Tarde", que até tem boa audiência, mas pouca lucratividade.

A Globo aposta que Fernanda Gentil pode atrair anunciantes muito mais interessantes que uma sessão de filmes (a propósito: autoconfiante, a jornalista e ex-âncora do "Esporte Espetacular" também aposta nisso)

Mas, há mais coisas rolando nos bastidores: a coluna apurou, por exemplo, que Rafa Brites também tem feito grande lobby para ter um programa só seu --seja de manhã ou à tarde.

Além dela também há Patrícia Poeta, que continua sua saga em busca do próprio horário na programação (a emissora já recusou duas vezes seu projeto solo).

Há ainda outros pontos fracos a serem corrigidos na programação. Um dos maiores, sem dúvidas, o programa semanal "Amor & Sexo", com Fernanda Lima, que neste ano despencou em audiência, e cuja manutenção em 2019 ainda não está garantida. 

Tudo de certa forma ainda está no campo da especulação (e das intrigas), mas é isso justamente que vem causando ranger de dentes nas produções da emissora.

Oficialmente, a Globo não se manifesta sobre sua nova programação até que as mudanças sejam definidas pela direção.

Colunista Ricardo Feltrin no TwitterFacebook e site Ooops