Topo

Coluna

Ricardo Feltrin


Sem previsão de alta, Beto Barbosa segue em Unidade Semi-Intensiva em SP

Divulgação/SBT
Beto Barbosa prepara tapioca para Patricia Abravanel durante entrevista para o "Programa da Eliana" Imagem: Divulgação/SBT
Ricardo Feltrin

Ricardo Feltrin é colunista do UOL desde 2004. Trabalhou por 21 anos no Grupo Folha, como repórter, editor e secretário de Redação, entre outros cargos.

Colunista do UOL

2019-01-22T08:46:00

22/01/2019 08h46

O cantor e compositor Beto Barbosa, 63 anos, continua internado na Beneficência Portuguesa, em São Paulo, após ter se submetido a uma complexa cirurgia para retirada e reconstrução da bexiga, atingida por um câncer.

Segundo os médicos ainda não há uma previsão para que o cantor receba alta.

Leia mais:

Cirurgia é um sucesso e Beto Barbosa se recupera em UTI

Câncer regride mais de 60% e Beto Barbosa será operado em SP

Na semana passada, o artista passou cerca de oito horas em uma mesa de cirurgia, comandada pelo doutor Álvaro Sarkis (da equipe do doutor Fernando Maluf).

Na cirurgia, além da reconstrução da bexiga, os médicos retiraram a próstata do cantor.

Apesar de tudo, os médicos veem uma chance muito grande recuperação total do cantor, que descobriu o câncer no ano passado.

Ele desconfia que foi vítima de erro médico: meses antes de descobrir o tumor ele já havia se sentido mal e procurado um médico em Fortaleza. Esse médico, afirma, o tratou durante meses como se ele tivesse apenas uma infecção urinária. Mas, era câncer.

Beto nasceu em Belém do Pará e se tornou cantor por acaso: ele trabalhava como gerente de uma loja da cidade e seu sonho mesmo era se tornar dono de uma rede de lojas de móveis; foi quando o executivo de uma gravadora o ouviu cantando, gostou de sua voz e afinação e o convidou para gravar um disco.

Confiante na cura, Raimundo Roberto Morhy Barbosa, conhecido internacionalmente como o Rei da Lambada,  já tem shows marcados para março e abril, no Brasil; e em outubro tem marcada uma turnê pelos EUA.

Seus três primeiros discos, lançados no final da década de 80 e início dos anos 90, venderam mais de 8 milhões de cópias. 

Nos últimos anos ele tem lançado apenas CDs independentes.

Veja também:

Fama e dinheiro demais me fizeram mal, diz cantor

Colunista Ricardo Feltrin no TwitterFacebook e site Ooops