Topo

Coluna

Ricardo Feltrin


Após bom começo, "Topíssima" cai no ibope e já causa temores à Record

Cena de "Topíssima", novela da Record - Divulgação
Cena de "Topíssima", novela da Record Imagem: Divulgação
Ricardo Feltrin

Ricardo Feltrin é colunista do UOL desde 2004. Trabalhou por 21 anos no Grupo Folha, como repórter, editor e secretário de Redação, entre outros cargos.

Colunista do UOL

24/06/2019 06h30

Um mês atrás, em sua estreia, a novela "Topíssima" marcou 10 pontos de média e 12 de pico em São Paulo, causando grandes esperanças para a Record (cada ponto em SP equivale a cerca de 73 mil domicílios).

Foi um encorajador começo para um produto que foge do "arroz com feijão" bíblico da dramaturgia da emissora da Barra Funda.

Um mês depois, porém, a novela já está perdendo mais de 25% de sua audiência da estreia.

Na última quinta, por exemplo, chegou a marcar apenas 7,1 pontos de média na Grande São Paulo, principal mercado da publicidade, segundo o site "Notícias da TV".

Se começou vice-isolada, hoje a novela tem ma briga acirrada pela posição com o SBT, que no mesmo horário aposta no jornalismo do "SBT Brasil".

Não é o que a direção da Record esperava. A expectativa era que ao menos a trama se mantivesse nos dois dígitos (10 pontos ou mais).

Se no início foi festejada como uma trama "ágil", a novela de Cristianne Fridman (que, dizem, conta também com dedo da flha do bispo Macedo, Cris Cardoso), parece estar perdendo fôlego.

Ainda é cedo para cravar apostas, mas, segundo comentários de telespectadores nas redes, "Topíssima" corre risco de virar "Flopíssima".

Ricardo Feltrin no Twitter, Facebook e site Ooops