Topo

Coluna

Ricardo Feltrin


Exclusivo: Globo vai lançar Globoplay nos EUA no ano que vem

Novelas como "A Dona do Pedaço" (foto) poderão ser vistas nos EUA pela plataforma Globoplay, a partir de 2020 - Reprodução/Globo
Novelas como "A Dona do Pedaço" (foto) poderão ser vistas nos EUA pela plataforma Globoplay, a partir de 2020 Imagem: Reprodução/Globo
Ricardo Feltrin

Ricardo Feltrin é colunista do UOL desde 2004. Trabalhou por 21 anos no Grupo Folha, como repórter, editor e secretário de Redação, entre outros cargos.

Colunista do UOL

28/06/2019 13h23

A partir do próximo ano os brasileiros que morarem nos EUA terão mais uma forma de acesso à programação da TV Globo. Pelo aplicativo Globoplay.

Não são poucos os nossos "conterrâneos" lá: o Itamaraty estima que 1 milhão de brasileiros morem hoje nos Estados Unidos, sendo quase um terço deles na Flórida. Hoje já é possível assistir a programas da Globo via assinatura da Globo Internacional na TV paga de lá.

A emissora diz que a partir de 2020 vai expandir sua estratégia de aproximação com o público no exterior, e que a plataforma será disponibilizada no mercado americano.

"Será um modelo adaptado para o público brasileiro que mora nos EUA, e a previsão é que ofereça o 'catch up' e o 'live streaming' da programação da Globo Internacional exibida no país", diz o grupo.

Ou seja, vai ser possível assistir à toda programação própria da Globo após sua exibição linear (depois que tiver sido exibida na TV aberta). Será possível assistir também a conteúdo próprio e local, como o telejornal "Globo Notícia Américas".

A plataforma não vai exibir conteúdo da Globo ao vivo.

Vale lembrar que alguns conteúdos não podem ser exibidos em outros países por questões de direitos autorais territoriais.

Por exemplo: a Globo pode exibir um filme da Warner no Brasil, mas suas plataformas --Globo Internacional e, a partir de 2020, Globoplay-- não podem fazê-lo em outros países, a menos que negociem com os estúdios caso a caso..

Ainda falando em Globo Internacional, o grupo diz que ela continua, a despeito do fechamento de seu serviço no Japão.

"No que diz respeito ao caso específico do Japão, entendemos que o modelo de operação no país não estava atendendo à comunidade brasileira que lá vive. Por isso o sinal foi descontinuado em março, enquanto estudamos novas formas de atender ao nosso público local", afirmou o Grupo Globo à coluna, por meio da CGCom.

4 milhões de assinantes

"Possuímos outros seis canais internacionais, que hoje somam quatro milhões de assinantes: Américas, Europa, dois canais para a África e dois para Portugal", diz a Globo.

"Em Portugal, temos o canal Globo, com foco em dramaturgia, e Globo Now, direcionado para variedades e atualidades. E fechamos 2018 com índices históricos de audiência no canal Globo - que está disponível em todas as operadoras - sendo o segundo mais assistido da TV a cabo no país."

A Globo já vendeu suas novelas e produtos para cerca de 170 países nos últimos 40 anos.

Além da produção própria, a emissora está fazendo parcerias com outros grupos, como a recém-anunciada coprodução com a Sony para três séries de língua inglesa, começando por 'Anjo de Hamburgo'.

Desde 1999 a Globo tem canais internacionais, os pioneiros do gênero a serem transmitidos a brasileiros e lusófonos que vivem no exterior.

Ricardo Feltrin no Twitter, Facebook e site Ooops