Topo

Coluna

Ricardo Feltrin


Ibope da TV Brasil regride um ano com governo Bolsonaro

O presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL), prometeu acabar com a TV Brasil; não acabou - Mateus Bonomi/Agif/Estadão Conteúdo
O presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL), prometeu acabar com a TV Brasil; não acabou Imagem: Mateus Bonomi/Agif/Estadão Conteúdo
Ricardo Feltrin

Ricardo Feltrin é colunista do UOL desde 2004. Trabalhou por 21 anos no Grupo Folha, como repórter, editor e secretário de Redação, entre outros cargos.

Colunista do UOL

19/09/2019 06h03

Além de não cumprir a promessa eleitoral de acabar com a TV Brasil, criada pelo governo Lula, o governo Jair Bolsonaro também fez a emissora regredir um ano em seu índice de audiência.

Desde janeiro o ibope da emissora pública caiu quase 25% na média mensal nas 15 maiores regiões metropolitanas do país (o chamado Painel Nacional de Televisão, PNT).

A TV Brasil fechou agosto com 0,32 ponto no PNT, contra 0,41 em janeiro. Janeiro foi o primeiro mês de governo e coincidiu com o maior índice obtido até hoje pela TV pública. Havia então a expectativa de seu fechamento.

A medição da Kantar Ibope Media, obtida pela coluna, abarca a faixa horária das 7h à 0h.

Esse 0,32 ponto é aproximadamente o mesmo que a emissora registrava um ano atrás, ainda no governo Temer. É um índice que já se aproxima do chamado "traço". Ou seja, um alcance irrelevante.

Cada ponto nessa medição equivale a cerca de 254 mil domicílios sintonizados no país. Cada domicílio com uma média de 3 moradores.

Esse PNT pode ser considerado a mais amplo e completa da Kantar no chamado horário comercial, uma vez que açambarca tanto a TV paga como a aberta.

A tal "reformulação" que o governo promoveu em março na TV Brasil mostrou-se, em números, comprovadamente desastrosa (veja abaixo).

Entre os canais abertos a TV Brasil é o 7º canal mais visto do país, atrás da Cultura (6º lugar. 0,40).

Está à frente da Rede Vida (0,20) e TV Aparecida (0,18). Em janeiro, ficou a apenas três décimos de ponto de ibope de empatar com a Cultura (0,41 x 0,44). Mas tudo isso agora é passado.

Veja o ibope da TV Brasil no governo Bolsonaro (em pontos)
15 maiores regiões metropolitanas do país

Janeiro - 0,41
Fevereiro - 0.43
Março - 0,42
Abril - 0,38
Maio - 0,38
Junho - 0,34
Julho - 0,35
Agosto - 0.32

Fonte: Dados da Kantar Ibope obtidos pela coluna por terceiros. Kantar é proibida contratualmente (com as TVs) de divulgar esse corte de números.

Mais Ricardo Feltrin