Topo

Coluna

Ricardo Feltrin


Apelativo e sanguinário, programa "Alarma" derruba ibope do SBT

Os apresentadores do "Alarma TV", uma espécie de "Aqui Agora" piorado, que entrou no ar no SBT - Reprodução/YouTube
Os apresentadores do "Alarma TV", uma espécie de "Aqui Agora" piorado, que entrou no ar no SBT Imagem: Reprodução/YouTube
Ricardo Feltrin

Ricardo Feltrin é colunista do UOL desde 2004. Trabalhou por 21 anos no Grupo Folha, como repórter, editor e secretário de Redação, entre outros cargos.

Colunista do UOL

02/10/2019 10h17

Silvio Santos aprontou mais uma "surpresa" no público e dentro de sua emissora: colocou no ar ontem um dos produtos "pseudojornalísticos" mais violentos e apelativos do mundo, o programa "Alarma TV".

O público do SBT reagiu: derrubou o ibope do SBT. Nas redes sociais, o programa foi condenado e apontado como de baixo nível por muita gente, como o colunista Maurício Stycer, do UOL. Segundo Maurício também noticia, o SBT já decidiu acabar com o programa.

A única exibição do "Alarma", uma espécie de "Aqui Agora" muito piorado, registrou ontem média de 5,2 pontos e 7,8% de share, o pior resultado do SBT em todo dia de ontem, segundo dados mensurados pela Kantar Ibope.

É mais de um ponto a menos do que a novela "Abismo da Paixão" registrava no mesmo horário (5,7 pontos).

Só que "Abismo" no final entregava a grade ao "SBT Brasil" com seis pontos ou até mais na Grande SP (cada ponto = 73 mil domicílios).

O "Alarma" entregou ontem com 4 pontos. Apesar disso o "SBT Brasil" conseguiu reerguer o horário e terminou com sua média habitual na casa dos 6,5 pontos em SP.

Para colocar o "Alarma", Silvio mandou reduzir "Abismo".

Segundo esta coluna apurou, apesar de boa parte do público ter ficado horrorizado com o conteúdo violento do "novo" programa do SBT, a edição de ontem estava até "fofa" para os padrões do conteúdo. Ontem o SBT fez um "compilado" de três programas diferentes.

A emissora decidiu ontem exibir apenas os vídeos mais "leves". Por isso muitos telespectadores acharam que a apresentadora havia trocado de roupa três vezes, a propósito.

Ricardo Feltrin no Twitter, Facebook e site Ooops