Topo

Coluna

Ricardo Feltrin


Em 2019, GloboNews já perdeu 35% de sua audiência

Durante debate sobre posse de armas, jornalista cai no "gemidão do WhatsApp" ao vivo na GloboNews - Reprodução
Durante debate sobre posse de armas, jornalista cai no "gemidão do WhatsApp" ao vivo na GloboNews Imagem: Reprodução
Ricardo Feltrin

Ricardo Feltrin é colunista do UOL desde 2004. Trabalhou por 21 anos no Grupo Folha, como repórter, editor e secretário de Redação, entre outros cargos.

Colunista do UOL

10/10/2019 12h33

Se por um lado a TV Globo (aberta) está crescendo em ibope no governo Jair Bolsonaro, o mesmo não se pode dizer da GloboNews, canal noticioso do Grupo na TV por assinatura.

Dados obtidos com exclusividade por esta coluna mostram que, desde que Bolsonaro assumiu, o canal já perdeu mais de 35% do público. Mas, o novo presidente não pode ser apontado como causa direta disso, não.

Desde o ano passado, quando a GloboNews começou a mexer em sua grade e trouxe novos produtos, como telejornais longos de até três horas de duração (como o "Em Ponto"), a situação já estava ficando complicada.

Dados exclusivos de audiência mensurados pela Kantar Ibope Media em rede nacional, obtidos pela coluna de terceiros, mostram que o canal da Globosat marcou 0,77 ponto de média em janeiro.

Cada ponto equivale a cerca de 115 mil domicílios sintonizados nas 15 principais regiões metropolitanas do país.

Essa média caiu para 0,51 em setembro.

Ainda assim é o canal de notícias mais assistido da TV por assinatura no Brasil.

A pesquisa de onde foram extraídos esses números abarca um universo de 10.179.738 domicílios nas 15 maiores regiões metropolitanas do país.

Veja abaixo a comparação mês a mês da GloboNews:

Colocação no ranking só de TVs pagas
Em pontos e share (%)

Janeiro - GloboNews (3º lugar) - 0,77 e 1,70 de share

Fevereiro - GloboNews (4º lugar) - 0,72 e 1,55%

Março - GloboNews - (5 lugar) 0,60 e 1,26%

Abril - GloboNews (6º lugar) - 0,57 e 1.21%

Maio - GloboNews (7º lugar) - 0,59 e 1,22%

Junho - GloboNews (7º lugar) - 0,55 e 1,13%

Julho - GloboNews (7º lugar) - 0,57 e 1,17%

Agosto - Globonews (6º lugar) - 0,55 e 1,14%

Setembro - GloboNews (8º lugar) - 0,51 e 1,06%

Fonte: Dados consolidados de Ibope obtidos pela coluna por terceiros (a Kantar Ibope é proibida de divulgar esses números por força de cláusula contratual com as emissoras). Horário mensurado: 7h à 0h.

Outro lado

Por meio de sua assessoria, a GloboNews enviou mensagem com outra leitura de números para mostrar que a emissora vai bem. Segue a nota:

"Cada mês tem suas particularidades, não é possível comparar um com o outro, principalmente quando se trata de um canal de notícias, como a GloboNews.

Em janeiro deste ano, por exemplo, tivemos a posse do novo presidente da República e sua participação no Fórum Internacional de Davos, além da tragédia de Brumadinho, que mobilizou o Brasil.

Na comparação entre a média de audiência de janeiro a setembro de 2019 e a média do mesmo período de 2018, uma análise mais equilibrada, a GloboNews apresentou crescimento de 9% de audiência.

Sobre os jornais, também houve crescimento de audiência no horário: na comparação do período de janeiro a agosto (2018 x 2019), a faixa do "Em Ponto" teve crescimento de 78%; a do "Edição das 10h", de 52%; a do "Estúdio I", de 41%; e a do "Em Pauta", de 71%".

Réplica da coluna

Embora a leitura e comparação enviada pela GloboNews, que avalia períodos específicos entre anos diferentes, também esteja certa, não há como chamá-la de "mais equilibrada" ou mais correta do que a utilizada pela coluna, que por sua vez mantém todos os números e informações publicadas: em 2019 a GloboNews perdeu 35% de sua audiência..

Ricardo Feltrin no Twitter, Facebook e site Ooops

Ricardo Feltrin